TJ outubro-18 - interna
O herói que transcende a alma!
Rosildo BarcellosRosildo Barcellos09/08/2018 16:01

Não posso mencionar minhas origens sem me reportar ao meu pai. Um poço de honradez e paciência. Certo é que para falar de um eminente homem precisaria certamente encontrar palavras, palavras que me faltariam pois palavras proferidas sem a existência das obras, são como semear no deserto. E nesse caminho de prosseguimento da vida já me exaltei, discuti, venci e fui vencido na defesa do que considero verdadeiro e real.

Entretanto, este artigo será diferente tenho certeza e pretendo nem parar para fazer alguma correção, pois as dúvidas me farão encontrar o caminho da certeza. Acontece que quando me preparava para  escrever esta crônica li um e-mail que me chamou a atenção. Era de um leitor que informou apreciar a forma que eu tocava nos assuntos cotidianos e que havia lido uma crônica minha sobre o Dia dos Pais de ano anterior denominada “O presente que não abri”.  O e-mail relatava que após ler aquela crônica  ele ficou por um bom tempo em prantos e começou a pensar muito em sua vida. Informou que ele tinha uma sensibilidade diferente de um adolescente  “normal” e que isso já acontecia desde tenra idade e que seu pai desde aquele momento o tratava com indiferença. – Poxa, meus tios e os vizinhos talvez eu até entendesse, mas meu pai ! Ah esse eu achei que iria entender ( escreveu em um trecho do e-mails). E continuando seu desabafo dizia: E quanto mais amável eu era mais ódio meu pai parecia sentir por mim. Reconsiderava as situações pela proteção e apoio incondicional da mãe.

Foi então – conta ele – que os “dias dos pais” começaram a passar em branco, as reuniões de pais começaram a ser um martírio pois não tinha o “pai” para assinar o boletim, as propagandas na televisão vendo pai e filho abraçados eram como uma faca cortando seus pulsos. E finaliza transmitindo muita comoção informando que neste dia dos pais ele já sabe que não poderá dar nenhum abraço em seu pai, mesmo ele estando vivo e são. Continua na parte mais triste do e-mail confessando que seu pai já sabe que ele admitiu possuir outra orientação sexual e que uma das coisas que ele mais sente falta é justamente de um abraço e de alguém dizendo...”- calma vai passar, ou... vai ficar tudo bem”. Na última linha confessa pretender adotar um filho para ser o pai que ele não teve e criando sua própria família em seu próprio mundo.

Por isso não pude deixar de relatar esse caso. Assunto que não podemos mais dizer que não existe ou que é apenas ficção. Eu particularmente reconheço os efeitos da ausência de uma orientação paterna. Porque Pai é muito mais do que se pode expressar  nessas três letras tão simplórias. Ser Pai é ser um eterno torcedor dos filhos; é sofrer mais que o filho na hora da enfermidade; é chorar calado ao ouvir balbuciar nossa primeira leitura. Ou como aconteceu comigo: eu  tinha alguém para ler e comentar meus primeiros artigos publicados. Hoje já recordista em publicações, que esta semana chega a 1250, com vinte e cinco anos  de "Jornal de Domingo", lamento ter perdido, meus melhores e mais críticos leitores: que eram meu pai e meu padrinho. Hoje um artigo que escrevo chega a diversos países, mas chega sem a correção dos dois maiores linguistas do século. Aqueles que tiravam do bolso a morfologia, a sintaxe; e o léxico... e  não existirão substitutos com tamanho conhecimento da vida  Por isso perdoem as falhas. Adianto que este texto pode ter erros gramaticais mas está impregnado de sentimento, pois levo um legado de emoção que derramo no papel e exponho aos seus olhos. E assim independente de qualquer coisa, quando temos o apoio da família, as situações se tornam recompensadoras quando se tornam difíceis e mais leves quando nos faltam as forças. A regra é clara: Pais...amem seus filhos e, filhos, amem e respeitem seus pais; ele é o herói que transcende a alma e eu estou aqui para lembrar esse detalhe, quantas vezes for preciso!

* Rosildo Barcellos é articulista do JD1 Notícias e Jornal de Domingo há 25 anos

Deixe seu comentário

Leia Também

SESC

+ mais galeriasGalerias de Fotos