TJ outubro-18 - interna
CulturaEspetáculo aborda falta de comunicação em família
Da redação com assessoriaquinta, 17 de maio de 2018 - 15:12
Espetáculo aborda falta de comunicação em família

Nos próximos dois finais de semana, a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (Uems), de Campo Grande, estreia o espetáculo “De Pai para Filhos”, no Museu de Arte Contemporânea de Mato Grosso do Sul (Marco).

O texto de Júlio de Queiroz, de Florianópolis (SC), foi adaptado pelos professores Volmir Pereira Cardoso (Letras) e Fernandes Ferreira (Artes Cênicas), através do projeto de extensão Núcleo de Pesquisa e Atividades Culturais (Nupac/Uems).

O professor Fernandes também atua no espetáculo. Ele será o pai de dois filhos de uma típica família judaica de trabalhadores rurais. A trama mostra um ambiente de respeito às tradições religiosas, predominantemente masculino, cercado por muito trabalho, que não abre espaço para manifestações de sentimento e emoções. “A peça trata da incomunicabilidade humana, a dificuldade de entendimento em torno das relações familiares”, conta o professor Fernandes Ferreira.

O Espetáculo De Pai para Filhos marca a volta de Fernandes aos palcos, que desde 2014 vem apenas produzindo e dirigindo. Professor da Uems há 20 anos, ele já produziu e dirigiu diversos espetáculos como O Pequeno Príncipe, Grease, Aida, entre outros. “Eu precisava disso, dessa adrenalina, desse desafio e energia ao mesmo tempo. E esse texto me favorece, assim como a personagem: um pai de meia idade”, explica Fernandes.

O professor Volmir Cardoso foi aluno de Fernandes, na Uems em Nova Andradina. Essa parceria rendeu mais uma vez, um trabalho em conjunto com a adaptação dramática desse texto de Júlio de Queiroz.

O elenco ainda conta com Samir Henrique, que é acadêmico do curso de Artes Cênicas da Uems/CG e Carlo Fabrizio, ator que atuou no Espetáculo O Pequeno Príncipe. A iluminação é de Expedito Di Montebranco. “Como é um elenco menor, de atores já com experiência, pude em muitos momentos compartilhar com eles a direção do espetáculo, iluminação e produção”, completa Fernandes.

Deixe seu comentário

Leia Também

SESC