Prefeitura - cidade em ação - dentro
GeralCriação de centro de tratamento para autistas é solicitada na Câmara Municipal
Da redação com assessoriaquinta, 14 de junho de 2018 - 14:58

A integrante da Associação de Pais Responsáveis Organizados pelas Pessoas com Deficiência e Transtorno do Espectro Autista (PRODTEA), Naína Dibo, usou a tribuna da Câmara Municipal para solicitar a criação de centro de tratamento para autistas, em Campo Grande. O pedido ocorreu durante a sessão desta quinta-feira (14).

 “Segundo o último senso do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), há dois milhões de autistas no Brasil, isso é apenas uma estimativa, não é o número correto de pessoas com a deficiência. Aqui na capital, são oito mil pessoas com autismo, no estado são 20 mil pessoas. A cada 59 pessoas que nascem, uma nasce com autismo, o número tem crescido de uma forma alarmante. A estimativa é que em 2025 a cada duas crianças que nascerem, uma vai ser autista”, disse Naína.

De acordo com ela, a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) é a única instituição que atende Mato Grosso do Sul. “A entidade está com uma lista de espera gigantesca, e as pessoas que têm atendimento, não tem tratamento adequado”, contou.

Durante o uso da palavra, Naína destacou a necessidade da construção de um Centro de Tratamento para o Espectro Autista na Capital. “Conseguindo fazer um centro aqui na capital, além de estar à frente de todo o Brasil, poderíamos profissionalizar muitas pessoas. Temos capacidade de fazer parceria com faculdades, desde medicina à nutrição. Têm crianças que não conseguem ser diagnosticada porque o profissional não tem capacidade de enxergar o problema”, declarou. 

“Tenho certeza que se conseguíssemos implantar esse centro, nós traríamos mudança na vida de muitas pessoas e nos tornaríamos referência no país. Precisamos de políticas públicas urgentes, somos uma Organização Não Governamental, não conseguimos atender a todos”, finalizou.

 

Deixe seu comentário

Leia Também

SESC