TJ outubro-18 - interna
GeralHomem cai no golpe da “Recarga Premiada”O autor da farsa havia solicitado que a vítima depositasse o dinheiro em duas contas
Da redaçãosexta, 13 de julho de 2018 - 07:59
Homem cai no golpe da “Recarga Premiada”

No início da tarde desta quinta-feira (12) um homem caiu no golpe da “Recarga Premiada”, em Campo Grande. 

De acordo com o boletim de ocorrência, o autor da farsa ligou para o telefone da vítima, Thomas Matos Kinzel, de 26 anos, e disse ser um funcionário da empresa de telefonia Claro, e que o motivo do contato é que Thomas havia ganhado uma “Recarga Premiada”. 

Em meio a tanta euforia por conta da premiação, a vítima passou a obedecer, sem questionar, todas as exigências do autor, vindo a se dirigir até as agências da Caixa Econômica Federal, na av. Eduardo Elias Zaran, e do Banco Bradesco, na 14 de Julho, onde realizou depósitos da ordem total no valor de R$ 349,37 (trezentos e quarenta e nove reais e trinta e sete centavos).

O farsante também solicitou que Thomas depositasse nas contas a quantia de três mil reais para receber uma premiação no valor de “dez mil reais".

Na ânsia de receber este valor, sabendo que não possuía tal quantia em sua conta bancária, a vítima tentou ludibriar o suposto ofertante do "Premio" fazendo uma transferência no valor exigido, a qual sabia que não seria concluída por falta de fundos. Contudo recebeu um extrato de transferência e o beneficiário do depósito também recebeu uma notificação do suposto depósito.

A vítima não soube explicar e disse na ocorrência que agiu de maneira impensada ao tomar tal atitude, uma vez que queria muito receber a premiação.

Quando Thomas chegou em sua casa, passou a pesquisar a promessa do premio junto à internet e percebeu que tratava-se de um golpe, vindo a telefonar para o numero que lhe havia feito a chamada e questionar sobre a veracidade do promoção, percebendo que de fato havia sido enganado e o autor veio a encerrar a chamada.

Thomas informou que seu real prejuízo foi o já mencionado valor de R$ 349,37. Ele registrou a ocorrência na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (DEPAC) do centro, portando  as cópias dos extratos dos depósitos realizados , inclusive o que não possui provisão de fundos.

Deixe seu comentário

Leia Também