GeralIntegrante do PCC é condenado a 22 anos por execução de rivalA vítima fazia parte da facção rival Comando Vermelho
Redação com informações do MPMSsexta, 13 de julho de 2018 - 08:58

Rafael da Silva Duarte, 25 anos, integrante do Primeiro Comando da Capital (PCC) foi condenado, na tarde desta quinta-feira (12), pelo crime de homicídio qualificado por ter matado, esquartejado e filmado a execução de Richard Alexandre Lianho, que era de uma facção rival, o Comando Vermelho (CV). 

O assassino foi condenado a soma total das penas a 22 anos e nove meses de reclusão e um ano de detenção pelo juiz Carlos Alberto Garcete de Almeida, durante julgamento ocorrido na 1ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande.

O Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MP), representado pelo promotor de Justiça José Arturo Nunes Bobadilla Garcia, defendeu a condenação de Rafael da Silva Duarte pelo motivo torpe, ocultação de cadáver, porte ilegal e pertencer a organização criminosa.

A defesa de Rafael negou a autoria do rapaz em todos os crimes.

O Conselho de Sentença absolveu o acusado ao crime de corrupção de menores, porém, reconheceu as provas e a autoria dos crimes.

Crime brutal

Richard foi morto em 14 de fevereiro de 2017, por Rafael, Naiara Caroline Menezes Lopes, 23 anos, Leandro de Oliveira, 26 anos (mandante), Murilo Menezes Guimarães, 19 anos e Matheus Gonçalves Martins, 18 anos, – menores na época em que a vítima foi executada.

Naiara atraiu a vítima para a casa dos assassinos, marcando um encontro amoroso, onde o homem foi amarrado e preso.

No local, mantiveram a vítima sob a mira de duas armas. Matheus passou a desferir tiros na cabeça da vítima e, em seguida, Murilo também o acertou. Após os disparos, Matheus com uma faca tentou cortar partes do braço de Richard.

Antes de ser brutalmente morto, o rapaz foi filmado e teve que dizer o motivo de ser assassinado. Ele havia sido condenado pelo "Tribunal do Crime", composto por integrantes do PCC.

Em seguida, o corpo da vítima foi jogado numa ribanceira do penhasco da Cachoeira do Céu - "Céuzinho", com a finalidade de ocultar o cadáver.

Rafael da Silva Duarte, 25 anos

Deixe seu comentário

Leia Também

SESC