Geral“Procrastinação” foi alegação para prender advogado Jail Azambuja
Da redaçãoterça, 13 de março de 2018 - 20:54
“Procrastinação” foi alegação para prender advogado Jail Azambuja

O advogado e ex-juiz Jail Benites de Azambuja foi conduzido na tarde desta terça-feira (13) para a sede da Polícia Federal em Campo Grande. Ele é acusado de tentativa de homicídio contra o atual desembargador do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, Luiz Carlos Canalli, porém o motivo que levou à sua prisão foi apenas uma forma de preservar a efetividade do processo penal.
De acordo com apurado pelo JD1 Notícias, Jail Azambuja estava com júri marcado para o dia 9 de março, porém, um dia antes o advogado e ex-desembargador do TRF4 José Luiz Borges Germano da Silva, que acompanhava o caso, renunciou ao processo. Por causa dessa ação o júri não pôde ser realizado na data marcada.
Diante disso, o Ministério Público solicitou a prisão processual de Jail Azambuja e esta foi expedida pelo juiz Sandro Nunes Vieira, da 2ª Vara de Umuarama. Segundo o MP o fato do advogado José Borges ter se retirado estava procrastinado o andamento do processo, ou seja, adiando ou prolongando o caso.
Outra alegação para o pedido do MP seria a possibilidade de Azambuja fugir, inclusive, para fora do país. Jail Azambuja está na sala de custódia da Polícia Federal e ainda segundo apurado, seu advogado já está tomando as medidas cabíveis para que ele seja liberado em breve.

Deixe seu comentário

Leia Também

Sebrae junho-18