OpiniãoCarta aberta ao Presidente Temer, sobre a Previdência
Alicio Mendessábado, 13 de janeiro de 2018 - 09:32
Carta aberta ao Presidente Temer, sobre a Previdência

SENHOR PRESIDENTE.

Não sou seu eleitor, tampouco pertenço ou pertenci ao seu Partido, mas me louvo no elevado espírito democrático e na capacidade profissional e política de V.Exa. que eu acompanho desde os tempos de MDB e ARENA, quando lá no interior de nosso Estado eu também transitava na vida pública interiorana paulista. Portanto conheço a sua trajetória e sei que depois de Ulisses,  acho que V.Exa.  poderia sem duvida,  ficar no topo da cadeia  dos mais notáveis de sua Legenda. E isso Presidente, o Senhor não conseguiu com sorrisos, pois eles dificilmente fazem parte de seu semblante austero que o caracterizam e o acompanha até os dias de hoje. Interessante que também Ulisses Guimarães era um homem de poucos sorrisos.   Aqui neste espaço,  não me cabe tecer qualquer comentário a respeito de acusações que pesam sobre V. Exa. pois isso  não é o objetivo desta carta. Entretanto, me permito e preciso fazer algumas observações sobre o seu Governo, pois fica incompreensível para mim, os baixos  índices  de aceitação que permanecem constantes, a despeito do que se observa hoje no País.                                                                                                         

Atravessamos um momento em que reina euforia em praticamente todos os segmentos da sociedade, onde assistimos diariamente se falar que a recuperação do Brasil é incontestável e todos os números, não só da nossa economia, apontam para isso, o que leva até mesmo o amante do ceticismo a admitir que o Brasil caminha para vencer a crise, depois do desastre e da herança deixados pelos dois últimos governos, dos quais paradoxalmente o Senhor participou.

A sua postura de Chefe de Estado  tem se mantido, dentro dos mesmos padrões usados no primeiro dia de seu  Governo e usando-se uma linguagem popular, V. Exa. não tem se importado com popularidade, tão pouco se importa em ser simpático.  Coincidentemente, o clima de austeridade se completa dentro do Palácio do Planalto, como a chegada do Deputado Marun como novo Ministro da Secretaria de Governo que também tem dado provas de que igualmente não se importa com popularidade e não joga prá galera e nessa linha me parece que o País será conduzido,  e a despeito das críticas, poucas dúvidas hoje se tem sobre a necessidade das reformas.

 Entretanto Senhor Presidente, paira sobre o seu Palácio e sobre o País, uma nuvem negra, uma situação que me preocupa sobremaneira e tenho certeza que preocupa também a milhãos de brasileiros, que é a questão da nossa previdência.  Sei e tenho certeza que o País não sobreviverá sem essa reforma, e muita gente sabe disso e sabe também que sacrifícios se impõe para que tenhamos condições de garantir o futuro de milhões de pessoas. Mas o que causa indignação é sabermos que além da irresponsabilidade do governo petista, a inadimplência com o setor é hoje a principal revolta do povo, particularmente do previdenciário que cumpre com suas obrigações e se desespera ao ver             que os mais poderosos setores da nossa economia não são molestados pelo Governo e se perpetuam como os maiores caloteiros da nossa combalida Previdência.

O POVO BRASILEIRO PRECISA SABER POR QUE É QUE A JBS E OUTROS GRANDES FRIGORÍFICOS QUE SE LOCUPLETAM COM SEU DINHEIRO, A CAIXA, O BRADESCO, O BANCO DO BRASIL E TANTOS OUTROS MONSTROS DA NOSSA ECONOMIA,  ESTÃO A DEVER BILHÕES E BILHÕES PARA A PREVIDÊNCIA?

 Por que é que o Governo não fala sobre isso?  O senhor não precisa e nem deve  carregar esse fardo sozinho.  De quem é a culpa por perdurar essa situação.  Se o cidadão comum deixa de pagar,  o Governo, a Justiça e todas as forças vão sobre ele que não terá escapatória e às vezes lhe tomam até a casinha que tem para morar com sua família.

Tenho certeza Senhor Presidente, que a Sociedade Brasileira estará do seu lado para vencer qualquer obstáculo, seja ele de natureza constitucional, jurídica ou de qualquer outra origem que possa surgir para impedi-lo de fazer esses devedores pagarem o que devem a Previdência. O Povo Brasileiro e o Setor Produtivo Responsável não aguentam mais  conviver com esses exploradores e maus pagadores.  Os  lucros absurdos desses setores  não deveriam admitir permissividade como essa, advinda  de quem quer que seja.

Fala Presidente, para que possamos analisar os motivos que levaram nossas autoridades a permitirem que se faça essa ignomínia.  

Todos precisamos saber sobre isso, pois do contrário seremos obrigados a concordar que teria razão aquele que se coloca contra a REFORMA DA PREVIDÊNCIA.

Admito que dar conhecimento  disso deverá ser uma tarefa que talvez requeira coragem. Mas ela  se impõe, é vital e poderá ser um divisor de águas,  para  a  consolidação do seu Governo Reformista.   

A População não pode pagar sozinha essa conta, e na certeza de que essa nossa contribuição possa ser levada em conta pelo seu Governo, atenciosamente me subscrevo.

 

Alicio Mendes – Campo Grande- MS

[email protected]

Deixe seu comentário

Leia Também

SESC