OpiniãoGerenciando o estresse durante provas e concursos
Sálua OmaisSegunda, 13 de Novembro de 2017 - 16:16
Gerenciando o estresse durante provas e concursos

Estar diante do novo ou do desconhecido é algo que sempre desperta uma certa ansiedade e um certo nível de stress. Do mesmo modo, estar diante de uma prova ou de um processo seletivo é algo altamente desafiante, e por isso, requer algumas estratégias para manter um estado mental equilibrado que não afete o desempenho ótimo que um estudante precisa naquele determinado momento. O estresse existe por um motivo e as pessoas podem deixar com que ele as domine, ou usá-lo da maneira correta para alcançar seu objetivo final. 

Para lidar com o estresse, é preciso primeiro entender as razões por trás daquele estado, para então estabelecer métodos para reduzir a pressão. Muitas vezes, as razões que levam um estudante ao estresse é a falta de preparação adequada, o alto nível do teste, a competitividade entre os colegas e o medo de não estar tão preparado quanto os outros, ou ainda, a grande expectativa dos familiares e pessoas ao redor, que, mesmo com a melhor das intenções, acabam gerando uma pressão no jovem, o qual se sente na obrigação de não decepcioná-los.  

Pessoas que têm o autocontrole diante de situações estressantes, conseguem fazer uma pausa no pensamento, refletir e escolher uma forma mais realista que a ajude a controlar a situação da melhor maneira possível, ao invés de se deixar dominar pela emoção ou o impulso do momento, ou de se autodepreciar. A questão é colocar o pensamento no lugar, e buscar o máximo de pensamentos funcionais, ou seja, recursos internos que tragam de volta a confiança e a segurança de que a pessoa é capaz de dar o seu melhor naquele momento.  Pensamentos negativos do tipo “eu não vou conseguir”, “a prova vai ser muito difícil”,  “eu devia ter estudado mais” ou “os outros estudaram mais do que eu”, não vão melhorar em nada a situação, pelo contrário, são esses pensamentos que vão gerar emoções ligada ao medo, as quais paralisam ainda mais a pessoa e acabam afetando funções cognitivas como o raciocínio, a memória, a atenção, o foco e a concentração no momento da prova. 

Observar esses pensamentos negativos automáticos e os efeitos deles sobre as emoções e o corpo são fundamentais para interromper esses ciclos e gerenciar o estresse. Fazer respirações profundas para se acalmar e reconhecer que estas são as respostas naturais ao estresse pode ser uma maneira poderosa de lidar com o desconforto físico. Comer bem, dormir bem e evitar ficar em contato com situações ou pessoas estressantes na véspera do exame também ajudam a reduzir o nível de estresse, até porque o estresse é um estado altamente contagioso, e ficar em contato com pessoas apreensivas também pode gerar mais insegurança. 

Enfim, acreditar que se é capaz de gerenciar o estresse e a ansiedade é fundamental pois as percepções que se tem de si próprio podem ter grande influência no estado emocional. O impacto de pensamentos negativos sobre nossas sensações corporais, sentimentos e a maneira como respondemos a tudo isso é algo muito significativo, e muitas vezes, pode ser um fator decisivo para a aprovação em um processo seletivo.


(*)Sálua Omais é Psicóloga com Mestrado em Psicologia da Saúde e Saúde Mental, Master Coach e Trainer Internacional em Psicologia Positiva, Neurossemântica e PNL. É titular do site www.psicotrainer.com.br onde escreve artigos diversos sobre Psicologia Positiva, Coaching e Inteligência Emocional.

 

Deixe seu comentário

Leia Também

SESC