TJ outubro-18 - interna
OpiniãoInteligência Emocional – Uma competência essencial na vida e no trabalho
Sálua Omaissegunda, 11 de junho de 2018 - 08:38
Inteligência Emocional – Uma competência essencial na vida e no trabalho

A Inteligência Emocional é um campo que tem sido extensamente pesquisado nas últimas décadas, ganhando cada vez mais importância à medida que diversas pesquisas foram comprovando o quanto a capacidade de as pessoas perceberem, identificar e gerenciar emoções pode ser determinante para o sucesso pessoal e profissional.  No campo profissional, em empresas e organizações, a inteligência emocional é um fator decisivo para o desempenho, motivação e produtividade. Compreender as pessoas, os elementos que as motivam, e como atrair a cooperação de um grupo, possibilita o desenvolvimento de habilidades necessárias para entender melhor, desenvolver a empatia e negociar, criando vínculos mais fortes que acabam contribuindo para um network mais amplo e diversificado.

A inteligência emocional envolve cinco categorias principais, ligadas a competências individuais e sociais. A primeira delas, é a autoconsciência, que nada mais é do que a capacidade da pessoa perceber e reconhecer suas próprias emoções, e os gatilhos ligados a elas. Para isso, é preciso que a pessoa tenha uma consciência emocional apurada, também ligada à autoconfiança, a qual gera uma satisfação com si próprio e com seus valores.

A auto-regulação, é outro elemento incluído no rol da inteligência emocional, e representa a capacidade da pessoa regular o quanto ela ficará sob o domínio de determinada emoção e o seu nível de controle sobre ela. Essa capacidade está ligada ao autocontrole, à auto responsabilidade, à inovação e à capacidade de ser flexível de modo a se adaptar a mudanças facilmente.

O terceiro componente da inteligência emocional, é a motivação, a qual está ligada diretamente ligada a uma forma de pensar mais positiva sobre a vida, baseada em atitudes positivas, que impulsionam a pessoa e dão mais energia para que ela alcance seus objetivos. Para isso, é necessário prática, esforço constante, comprometimento, iniciativa para correr em busca de oportunidades, e finalmente, é claro, muito otimismo, para poder resistir aos obstáculos e manter-se firme e persistente diante das adversidades.

A empatia, também está na lista das habilidades emocionais, e também sociais, tendo em vista que está ligada a capacidade em reconhecer os sentimentos e as emoções das outras pessoas, e, é a partir disso, que podemos controlar melhor os sinais que enviamos para o grupo no qual estamos inseridos. Na área profissional, por exemplo, é a empatia que nos ajuda a prestar serviços de melhor qualidade à sociedade, reconhecendo e atendendo às necessidades dos clientes, percebendo o que ainda precisar ser melhorado no atendimento, desenvolver melhor pessoas que precisam ser treinadas. Ela também ajuda a reforçar habilidades positivas, valorizar a diversidade cultural em sociedade, e perceber as relações de poder que muitas vezes existem dentro de um grupo, ou ainda, dentro da própria família.

E, por fim, o último e um dos mais importantes elementos, intrinsecamente ligado à inteligência emocional: as habilidades sociais. Esse é um fator essencial para se obter sucesso na vida e na carreira, e está relacionado à habilidade de comunicação efetiva, de influenciar pessoas eficientemente e gerenciar conflitos, de criar uma liderança que inspira grupos e pessoas e que ao mesmo tempo fortaleça os laços sociais, abrindo espaço para que tarefas e funções sejam compartilhadas de forma eficiente, proporcionando um aumento na colaboração e na cooperação, gerando mais sinergia entre a equipe em torno de um objetivo que seja comum e de igual importância para todos, e não somente para alguns isoladamente.

Sálua Omais é Psicóloga e Palestrante, com Mestrado em Psicologia da Saúde e Saúde Mental, Master Coach e Master Trainer em Psicologia Positiva, Neurossemântica e PNL. É titular do site www.psicotrainer.com.br onde escreve artigos diversos sobre Psicologia Positiva, Coaching e Inteligência Emocional.

Deixe seu comentário

Leia Também

SESC