TJ outubro-18 - interna
OpiniãoTimidez – um problema que vai longe
Sálua Omaisegunda, 5 de fevereiro de 2018 - 18:07
Timidez – um problema que vai longe

Timidez persistente não é bom sinal. Ela pode causar uma série de prejuízos e ser tão debilitante a ponto de impedir pessoas de participem de situações sociais que são importantes para seus objetivos pessoais ou profissionais. Apesar do desejo de querer se aproximar dos outros, pessoas tímidas temem serem rejeitadas ou criticadas, e com isso, deixam de participar de eventos e grupos sociais, perdendo uma série de oportunidades.

A timidez se sustenta por meio de um ciclo vicioso. A pessoa tenta abordar outras pessoas em algum tipo de situação social, mas o medo da avaliação negativa faz com que ela desista no meio do caminho. No início, há uma sensação de alívio por não ter enfrentado a situação, mas com o tempo isso leva a sentimentos de vergonha e culpa. A timidez se constrói na mente do indivíduo por meio de uma série de pensamentos negativos, tendo em vista que o foco principal é achar que haverá algum tipo de rejeição, de sarcasmo, ou simplesmente, um medo de receber um “não”. Após um tempo, esses pensamentos se transformam em emoções negativas como raiva, frustração e arrependimento. Emoções negativas provocam isolamento, o “fechamento” dentro de uma redoma onde a pessoa se sinta segura. Já o contrário, as emoções positivas, promovem mais abertura e aproximação do grupo.

Desenvolver habilidades sociais é um desafio para muitos. Toda situação social em que você se coloca é um mini treino de habilidades sociais. Quanto mais você pratica e se arrisca, maior vai se tornando a sua autoconfiança. Se a sua timidez é mais grave, existem tratamentos eficazes para a ansiedade social que incluem técnicas diversas, individuais e em grupo, dentro da Psicologia, que podem ajudar a desbloquear esse medo. 

Uma maneira de enfrentar a timidez, é primeiro, parar de tentar prever o julgamentos dos outros, e achar que os outros estão fazendo uma avaliação negativa. Expor-se ao medo é a melhor maneira de superá-lo. Busque também desenvolver uma curiosidade genuína e uma imagem mais positiva sobre as outras pessoas, ao invés de apenas pensar apenas sobre si. As pessoas gostam de se sentir ouvidas e aceitas, assim como você. Busque perguntar mais e ouvir diferentes pontos de vista, entendendo que isso será um acréscimo no seu conhecimento ao invés de uma crítica ou uma reprovação direta. Do mesmo modo que você não quer se sentir rejeitado, as outras pessoas também não querem, e, muitas vezes a falta de comunicação, pode fazer com que o tímido seja visto pelos outros como alguém arrogante, que nunca fala com ninguém.

E por fim, cuidado com a autocrítica. Pessoas tímidas muitas vezes são altamente críticas de si mesmas. Seu diálogo interno pode ser muito duro e incluir coisas que nunca diriam a outras pessoas. Quando você se julga com dureza, é mais provável assumir que outros irão julgá-lo da mesma maneira, e isso pode causar muitos danos emocionais, roubando a sua autoestima e a paz de espírito. Comece a perceber as coisas boas sobre você e aprenda a "conversar" com o seu crítico interior. Quando seu “eu” mais crítico começa a culpá-lo por ter medo, lembre-se de que ninguém gosta de rejeição, mas que é possível sobreviver a isso, e melhor ainda, torna-lo cada vez mais forte. 

Sálua Omais é Psicóloga com Mestrado em Psicologia da Saúde e Saúde Mental, Master Coach e Trainer em Psicologia Positiva, Neurossemântica e PNL. É titular do site www.psicotrainer.com.br onde escreve artigos diversos sobre Psicologia Positiva, Coaching e Inteligência Emocional. 

 

Deixe seu comentário

Leia Também

SESC