Menu
Busca segunda, 15 de julho de 2019
(67) 99647-9098
Agronegócio

Plano Safra 2019-2020 vai garantir R$ 8,2 bilhões para MS

Estado terá verba acima da média em relação a outras regiões do país

08 julho 2019 - 17h28Rauster Campitelli

Mato Grosso do Sul terá R$ 8,2 bilhões disponíveis para investimento na safra 2019-2020, o que representa um crescimento de 23% em relação ao aplicado pelo Banco do Brasil (BB) na safra passada. As informações foram divulgadas na tarde desta segunda-feira (8), em Campo Grande, no auditório do BB. O evento contou com a presença do governador Reinaldo Azambuja e da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina. Nacionalmente, o banco vai destinar R$ 103 bilhões a produtores rurais e profissionais ligados ao agronegócio, alta de 20%.

Conforme o superintendente regional do Banco do Brasil, Sandro Jacob, o estado terá verba acima da média em relação a outras regiões do país. “Estamos com toda a linha de créditos já abertas. Em Mato Grosso do Sul, nossa carteira [de crédito] é de R$ 9,5 bilhões, sendo R$ 4,4 bilhões em custeio e comercialização e industrialização, e R$ 5,5 bilhões em investimentos, valores já aplicados no estado”, informa Jacob.

No ano passado, o BB investiu R$ 86 bilhões na produção rural, sendo que 65% dos custeios já tinham o mitigador de risco. “Agradeço o empenho da Ministra em conseguir levar esse valor, que nós entendemos que é fundamental para o agricultor ter a segurança ao fazer os seus investimentos”. Em 2018, foram aplicados R$ 6,650 bilhões em Mato Grosso do Sul, sendo R$ 5 bilhões para custeio de comercialização e industrialização e o restante em investimentos.

Ainda segundo Sandro Jacob, R$ 5 bilhões em créditos foram aplicados via mobile, com 16 mil contratos, sendo R$ 3 bilhões aplicados em custeio. São 7,4 milhões de hectares segurados no país por meio dos seguros agrícolas, R$ 17,8 bilhões de capital protegido e R$ 1 bilhão em indenização.

“No Mato Grosso do Sul tivemos uma pequena seca no início do ano, principalmente na região Sul, e o Banco do Brasil já disponibilizou em indenizações R$121 milhões em seguro agrícola para 860 produtores. Ainda existem mais análises para fazer, ou seja, este valor poderá subir”, explica Jacob.

De acordo com ele, o produtor está preocupado em comprar bens. “Nós já adiantamos aos nossos clientes do estado, na safra de verão, 66% dos valores previstos para aplicar. [Esse valor] já está na mão do agricultor. Já disponibilizamos R$ 1,150 bilhão para 520 mil hectares de terras, ou seja, avançamos muito bem na safra de verão. E outros 34% serão concluídos até agosto deste ano”.

Em relação ao FCO (Fundo de Financiamento do Centro-Oeste), houve uma aplicação de R$ 1,895 bilhão para o setor rural em 2018. Neste ano, já foram aplicados R$ 542 milhões “e já tem R$ 1 bilhão em propostas internalizadas em FCO dentro do Banco do Brasil em análise até o seu deferimento”, conclui o superintendente do BB.

Piscicultura é incluída pela primeira vez no Plano Safra

A ministra Tereza Cristina frisou que, pela primeira vez, a pesca está sendo incluída no Plano Safra, permitindo que pescadores e produtores de pescados também acessem a linha de crédito. “O setor ainda terá muito crescimento no país durante o governo Bolsonaro. Estamos desburocratizando o setor rural, pois o Brasil precisa avançar na agricultura. No próximo ano, teremos R$ 2 bilhões para o seguro rural, porque esse é o caminho da modernidade, da inclusão de outras instituições de crédito, para estarem junto conosco e fazer parte desse papel tão importante que o Banco do Brasil sempre desenvolveu na agropecuária brasileira”, disse a ministra.

“O setor pode crescer ainda mais, estivemos China para negociar a abertura desse mercado. Assim eles vão estudar novamente o protocolo sanitário do milho para que possamos vender mais este produto àquele país”, acrescentou.

Já o governador Reinaldo Azambuja afirmou que, entre 2018 e 2019, houve crescimento de 345 mil hectares de áreas plantadas no estado. “Isso demanda crédito, investimentos, equipamentos, correção de solo, uma série de questões. E o produtor faz a sua parte, que é abrir novas áreas para poder ser competitivo, e assim podemos perceber a garantia dos recursos, pois sem eles fica difícil investir. E o custeio da Safra também é fundamental para desenvolver as atividades”, lembra o governador.

Segundo ele, dados do Imasul apontam que “teremos uma área de 300 mil hectares plantados a mais na safra 2019-20. Isso mostra a importância do crédito. E com isso temos uma oportunidade maior de vender para o mercado externo”.

1/4 colchões

Deixe seu Comentário

Leia Também

Agronegócio
Reinaldo amplia linha de crédito para agricultores
Agronegócio
Plano Safra 2019/2020 terá R$ 23 bilhões do BNDES
Agronegócio
Usinas levantam danos causados na cana-de-açúcar após geada
Agronegócio
Tereza e Reinaldo entregam maquinários e anunciam mais investimentos
Agronegócio
Setor produtivo comemora medidas anunciadas por governo e prefeitura
Agronegócio
Marquinhos garante qualidade de alimentos com nova regulamentação
Agronegócio
Verruck quer união entre países no combate ao contrabando de produtos agrícolas
Agronegócio
Campo Grande vai sediar Copa do Laço e feira agropecuária
Agronegócio
Com 65 milhões de litros MS registra queda de 1,2%
Agronegócio
Vice-ministro chinês é eleito novo diretor-geral da FAO

Mais Lidas

Justiça
Após atacar bar no Facebook, críticos terão que pagar indenização
Polícia
Homem paga R$ 70 para estuprar menina de 13 anos
Cidade
Agetran esclarece sobre radar sem sinalização na Antônio Teodorowick
Polícia
Veículo com destino a São Paulo transportava 33,9 kg de cocaína