Menu
Busca terça, 29 de setembro de 2020
(67) 99647-9098
Agronegócio

Tereza Cristina diz que Ministério monitora "nuvem de gafanhotos"

O fenômeno preocupa autoridades e especialistas por ser uma praga capaz de destruir lavouras inteiras em poucas horas

24 junho 2020 - 15h11Flávio Veras

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Tereza Cristina, informou que a pasta está rastreando a "nuvem de gafanhotos" que chegou à Argentina e se aproxima do Brasil. O avanço dos insetos foi classificado no grau "perigo" pelas autoridades do país vizinho na região que faz fronteira com o Rio Grande do Sul, e preocupa especialistas por ser uma praga capaz de destruir lavouras inteiras em poucas horas. 

Segundo o monitoramento climático realizado pelos especialistas argentinos, a praga deve seguir em direção ao Uruguai. No entanto, o governo brasileiro emitiu um alerta para as Superintendências Federais de Agricultura para que monitorem e orientem os agricultores da região sul.

A ministra Tereza Cristina disse nas redes sociais que além do plano de monitoramento, uma equipe foi criada para tomar possíveis ações caso a praga chegue às lavouras brasileiras. “Já temos um grupo e ações podem ser implementadas caso isso aconteça”, disse, em um comunicado divulgado no Twitter.

Segundo a Coordenação-Geral de Proteção de Plantas do Ministério da Agricultura, as autoridades fitossanitárias brasileiras estão em permanente contato com os argentinos, bolivianos e paraguaios por meio do Grupo Técnico de Gafanhotos do Comitê de Sanidade Vegetal (Cosave). “O que tem permitido um acompanhamento do assunto em tempo real, com o objetivo de adotar as medidas cabíveis para minimizar os efeitos de um eventual surto da praga no Brasil”.

Em comunicado, o governo da província de Córdoba informou que, em um quilômetro quadrado de nuvem, pode haver cerca de 40 milhões de insetos, com capacidade de consumir em um dia o equivalente ao que duas mil vacas poderiam comer no mesmo período.

Os gafanhotos estão presentes no Brasil desde o século 19 e já causaram perdas significativas às lavouras de arroz na região sul do país nas décadas de 1930 e 1940. Desde então, tem permanecido na sua fase "isolada" que não causa danos à agricultora. 

De acordo com o Mapa, os fatores que levaram ao ressurgimento da praga em sua fase mais agressiva na região estão sendo avaliados pelos especialistas e podem estar relacionados a uma conjunção de fatores climáticos, como temperatura, índice pluviométrico e dinâmica dos ventos.

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Nuvem de gafanhotos | Nota Oficial • O Ministério da Agricultura emitiu alerta para as Superintendências Federais de Agricultura, com vistas aos órgãos estaduais de Defesa Agropecuária para que sejam tomadas as medidas cabíveis de monitoramento e orientação aos agricultores da região, em especial no estado do Rio Grande do Sul, para a adoção eventual de ações de controle da praga caso esta nuvem ingresse em território brasileiro. Segundo o monitoramento climático, que vem sendo realizado pelos especialistas argentinos, a praga deve seguir em direção ao Uruguai.

Uma publicação compartilhada por Tereza Cristina (@terezacristinams) em 23 de Jun, 2020 às 6:23 PDT

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Agronegócio
Jaraguari terá primeira indústria de etanol de milho do Estado
Agronegócio
Entre países, MS sozinho é o 14º maior produtor de milho no mundo
Agronegócio
Lavouras que tiveram contrato com seguro rural serão fiscalizadas
Agronegócio
Silo com 900 toneladas de grãos de milho desmorona em fazenda de MS
Agronegócio
Bolsonaro exalta potencial do MS: “Um dos símbolos do agronegócio”
Agronegócio
AO VIVO – Tereza Cristina fala sobre agronegócio brasileiro em escala global
Agronegócio
Ministério autoriza LabSenai Sementes a analisar forrageiras e feijão
Agronegócio
Exportação de carne de aves dispara em MS

Mais Lidas

Cidade
Lei que prevê multas e punições para quem passar trote no 190 e 193 foi sancionada hoje
Justiça
Bolsonaro sanciona lei sobre maus-tratos a animais acompanhado do pitbull Sansão em Brasília
Polícia
Jovem é assassinada com oito tiros na Capital
Cidade
Funsat Itinerante vai atender na Vila Popular nos dias 01 e 02 de outubro