Menu
Busca sexta, 19 de abril de 2019
(67) 99647-9098
Brasil

Após beirar ibope zero na estreia, programa de Rafinha terá mudanças

28 maio 2012 - 11h07Francisco Cepeda / AgNews

Esquetes muito longas e a iluminação problemática estão entre os principais problemas já percebidos pela produção do "Saturday Night Live", comandado por Rafinha Bastos, e que estreou ontem na RedeTV! com 0,9 ponto de média na medição em tempo real.

Durante vários minutos, porém, o programa chegou a beirar o traço de audiência (0,3 ponto). Cada ponto vale por 60 mil domicílios na Grande São Paulo.

O baixo ibope foi um balde de água fria para a direção da emissora, que esperava algo entre três e sete pontos de média. Decepção para quem bateu o pé e insistiu que o humorístico fosse ao ar no domingo, para concorrer com os desafetos do "Pânico", que mudaram para a Band. Resultado: enquanto o SNL marcava 0,3, o "Pânico" registrava 9 pontos.

Para a próxima semana, a produção deve preparar quadros mais enxutos e piadas mais ágeis. Em último caso, se não houver reação, a aposta é que o programa mudará de dia e de horário.

Via Folha

pmcg - prestação de contas

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Bolsonaro diz que invasão de terra tem que ser tipificada como terrorismo
Brasil
Recadastramento de clientes de celulares pré-pagos começa nesta quinta
Brasil
Moraes revoga decisão que censurou reportagens
Brasil
Avianca vai devolver oito aeronaves depois da Páscoa
Brasil
Bolsonaro exonera general corumbaense, da secretaria de Esportes
Brasil
Mulher é presa seis anos após matar o ex-namorado
Brasil
Mega acumula e pode pagar R$ 60 mi, no sábado
Brasil
Revista Time coloca Bolsonaro entre os "100 mais influentes do mundo"
Brasil
Fachin quer manifestação de Moraes sobre inquérito de fake news
Brasil
Vale vai retomar atividades na Mina de Brucutu

Mais Lidas

Polícia
Empresário e funcionário morrem eletrocutados durante trabalho
Justiça
Julgamento de juiz é adiado
Polícia
Motorista é encontrado morto com 14 facadas
Justiça
Ação penal contra Puccinelli é suspensa pelo TRF3