Menu
Busca sábado, 16 de outubro de 2021
(67) 99647-9098
TJMS outubro21
Brasil

As ministras superpoderosas

20 junho 2011 - 16h11Arte-Folhapress

Saem os Três Porquinhos, entram as Meninas Superpoderosas. Em menos de seis meses, o eixo de poder do governo Dilma mudou: os três homens que comandaram a campanha e assumiram postos chaves no Executivo e no partido deram lugar na ribalta a três mulheres que passam a dominar o Planalto.

Como na lenda infantil, as "casas" dos Porquinhos caíram, por razões distintas. José Eduardo Dutra deixou a presidência do PT após enfrentar problema de saúde.

Antonio Palocci (Casa Civil) surpreendeu o país ao enfrentar a segunda queda em menos de quatro anos.

Sobrou José Eduardo Cardozo (Justiça), que, nas semanas em que o governo viveu sua principal crise, primeiro teve atuação discreta, e, depois, saiu de cena por conta de uma anemia.

Na troca da guarda, entrou em cena um trio que passou a comandar os principais programas de governo e a coordenação política de Dilma.

Juntas, Gleisi Hoffmann (Casa Civil) e Miriam Belchior (Planejamento) são responsáveis pela gestão de todas as vitrines do governo, do PAC ao Minha Casa, Minha Vida.

A divisão de tarefas, estabelecida quando Palocci ainda estava sob o teto do governo, agora pode causar alguma cotovelada entre as duas.

Isso porque Gleisi assumiu dizendo que sua missão seria cuidar da execução dos programas do governo, e justamente o mais amplo deles, o PAC, foi retirado da Casa Civil para o Planejamento, dada a função eminentemente política do ex-ministro.

Se por um lado a nova ministra enfatiza seu papel de gestora, é de se esperar que some esforços com a terceira integrante do trio. Gleisi pode dar à negociação política a leveza que ainda falta a Ideli Salvatti, apostam aliados.

"Gleisi sabe negociar, ceder e compor quando preciso. A Ideli já deu mostras de ser mais inflexível", analisa um líder da base na Câmara.

Única das três que estava no Planalto desde a posse de Dilma, Belchior passa, com a assunção das outras, a novo patamar de visibilidade, apostam ministros e aliados.

"A Miriam tem a memória do governo Lula, a confiança da Dilma há mais tempo e controla a chave do cofre. É ela que vai dizer quando será a hora de soltar o torniquete dos gastos", diz um colega.

O único homem de peso na cozinha de Dilma agora é Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral). A presidente cumpre, ainda que meio por acaso, a promessa de campanha de ter mais mulheres em cargos-chave.

Com informações da Folha on line.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Durante viagem, morador de MS morre após comer pizza de camarão
Brasil
Adolescente de 14 anos é esfaqueada após recusar sexo com homem de 44 anos
Brasil
Militares brasileiros e norte-americanos treinarão juntos em novembro
Brasil
Adolescente é detida com faca após invadir escola e fazer ameaças
Brasil
Acusado de fraudes com operação de criptomoedas é preso pela Polícia Federal
Brasil
"Eu decidi não tomar mais a vacina", diz presidente
Brasil
Mega-Sena tem prêmio estimado em R$ 6,5 milhões hoje
Brasil
Lançamento de selos em homenagem ao Cristo Redentor acontece na Catedral Metropolitana
Brasil
Bispo prega contra armas em missa do Dia de Nossa Senhora Aparecida
Brasil
Brasileiros fazem menos exercícios e ficam mais tempo no celular

Mais Lidas

Polícia
Jovem é encontrada morta ao lado da cama de hotel na fronteira
Cidade
Detran e Bombeiros recomendam que pessoas não saiam de casa
Polícia
Mãe é presa depois de consentir namoro da filha de 13 anos com rapaz de 20 anos
Clima
Vídeo: Tá chovendo ai? Tempestade com queda de granizo é registrada na capital