Menu
Busca sexta, 24 de maio de 2019
(67) 99647-9098
Brasil

Celulose faz MS liderar expansão de floresta plantada

23 janeiro 2012 - 15h30

Mato Grosso do Sul registrou em 2011 o maior crescimento proporcional de área de floresta plantada. Segundo o Anuário Estatístico da Abraf (Associação Brasileira de Floresta Plantada), a área, predominantemente de eucalipto, aumentou de 400 mil hectares em 2010 para 480 mil hectares em 2012.

A crise internacional deve continuar longe do setor, apesar da Europa exportar 46% da celulose brasileira. A manter a base do crescimento registrado no ano passado, a previsão é de dobrar o plantio de florestas em Mato Grosso do Sul e no Brasil no período de sete anos, atingindo um milhão de hectares até 2018. Nesse patamar o Estado assume a sexta posição no ranking da produção nacional.

Hoje, com apenas uma linha de produção da Fibria, o Estado produz 1,3 milhão de toneladas por ano. A Eldorado Florestal, do grupo JBS, será concluída em novembro deste ano, dobrando a capacidade de produção estadual, de 1,5 milhão para 2,8 milhões de toneladas de celulose, cerca de 1 milhão de toneladas atrás do Estado de São Paulo.

O investimento em floresta plantada não tem liquidez a curto prazo. Mas a promissora indústria de celulose e papel justifica a espera de sete anos para o primeiro corte. A Reflore (Associação de Produtores e Consumidores de Floresta Planta) de Mato Grosso do Sul, o maciço florestal segue o eixo Três Lagoas-Campo Grande. Além do eucalipto, são plantadas culturas exóticas, pinus e serigueiras, mas em escala muito pequena. Essas culturas são usadas para produtos florestais diversos, como lápis, palito de fósforo.

A base florestal situada ao longo do traçado da BR-262 foi um dos pontos que asseguraram a instalação da Fibria, Eldorado e da International Paper em Três Lagoas.

De toda produção de madeira, 70% são destinados à indústria de celulose, outros 20% vão para as siderúrgicas para produção de ferro gusa e outras fontes de energia, como lenha. Há outros nichos no mercado florestal - serrarias, madeira para construção de mourões e palanques, como os usados na cerca do Parque das Nações Indígenas em Campo Grande.

Produtividade
Hoje Mato Grosso do Sul também detém um das melhores produtividades, com média de 35 a 40 metros cúbicos por hectare. “É uma atividade rentável, de longo prazo, que exige atenção para alguns detalhes, a começar pela logística. A distância é um componente que pesa no custo. Além disso é preciso investir em tecnologia”, observa o presidente da Reflore-MS, Luiz Calvo Ramires Junior, notando que as técnicas de manejo exigem investimento em capacitação. “Este não é um mercado de compra e venda rápida, Depois que começa a produção a liquidez é imediata”.

 

Fac Feijoada 2019

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
“Reforma da Previdência deve ser aprovada em até 90 dias”, diz Guedes
Brasil
STF decide continuar julgamento sobre criminalização da homofobia
Brasil
Moro lamenta retorno do Coaf para Economia
Brasil
Funsat tem oportunidades com salários de até R$ 2 mil
Brasil
Prêmio principal da mega-sena sai para SP
Brasil
STF disciplina fornecimento pelo SUS de remédio sem registro
Brasil
STF começa a julgar fornecimento de remédios de alto custo pelo SUS
Brasil
Governo está reavaliando decreto de armas, diz porta-voz
Brasil
Bolsonaro não vai à manifestação de domingo e manda ministros se afastarem
Brasil
Toffoli defende que reformas devem "enxugar" a Constituição

Mais Lidas

Geral
Bosque dos Ipês terá exposição de animais marinhos de dez metros
Polícia
Homem bêbado pede para descansar e morre no sofá do vizinho
Clima
Temperatura volta a cair nesta quarta-feira, em Mato Grosso do Sul
Polícia
Massacre deixa seis mortos na fronteira