Menu
Busca quinta, 23 de setembro de 2021
(67) 99647-9098
TJMS setembro21
Brasil

Cerca de 398 mil donas de casa se filiaram à Previdência Social

07 maio 2013 - 11h51Renato Araujo/ABr

Dados divulgados pela Secretaria de Políticas de Previdência Social (SPPS) nessa segunda-feira (06) mostram que em março o número de donas de casa de baixa renda filiadas à Previdência Social no país chegou a 398.326. Entre os estados com os maiores registros de mulheres que aderiram à Previdência estão Minas Gerais (70.435), São Paulo (65.988), Rio de Janeiro (42.072), Bahia (28.717) e Rio Grande do Sul (28.149).

"Sem dúvida, esse número mostra que essa é uma política pública que deu certo e que a divulgação tem sido adequada, nós estamos muito satisfeitos, isso implica em mais pessoas protegidas, principalmente, se atentarmos para o fato de que são pessoas de baixa renda, inscritas no cadastro do Bolsa Família", afirmou Leonardo José Rolim, presidente do Conaprev.

Para aumentar ainda mais a formalização, o ministério da Previdência Social e o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) têm intensificado ações de divulgação da medida por meio do Programa de Educação Previdenciária (PEP). “Nós vamos conseguir fazer com que as pessoas percebam que agora elas têm uma forma mais barata e adequada à sua realidade para ser protegida pela Previdência”, destaca Rolim.

Para se inscrever no Programa
Qualquer pessoa sem renda própria que realize o trabalho doméstico no âmbito da própria residência pode se filiar à Previdência Social como segurado facultativo de baixa renda. Para isso, basta que a família esteja inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) e tenha renda mensal de até dois salários mínimos, R$ 1.244,00). A alíquota de contribuição previdenciária é de apenas 5% do salário mínimo (R$ 31,10) por mês. A inscrição pode ser realizada por meio da Central 135.

As dona de casas que não são de baixa renda também podem planejar sua aposentadoria. Nesse caso, elas participam da Previdência Social como contribuinte facultativo. Nessa categoria, pode entrar qualquer pessoa com mais de 16 anos que não exerça atividade remunerada.

O valor da contribuição, nesse caso, pode ser de 11% sobre o salário mínimo, R$ 68,42, ou de 20% sobre o valor recebido declarado. Caso a contribuição seja de 11%, a dona de casa terá direito à aposentadoria por idade e aos demais benefícios, exceto à aposentadoria por tempo de contribuição. Se for mulher, a partir dos 60 anos. Quando o recolhimento é de 20% sobre o salário, a dona de casa terá direto à aposentadoria também por tempo de contribuição, que para a mulher é de 30 anos.

Caso o segurado seja do sexo masculino, a idade é a partir dos 65. Será preciso comprovar 180 contribuições mensais (o equivalente a 15 anos).

A contribuição vence no dia 15 de cada mês e deve ser paga por meio da Guia da Previdência Social (GPS), que é o documento hábil para o recolhimento das contribuições. A GPS pode ser obtida em papelarias ou no site da Previdência. O pagamento da contribuição pode ser feito nas agências bancárias ou casas lotéricas.

Via Portal Brasil

Unica - inverno

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Sete estados e o DF estão sob alerta máximo por conta de baixa umidade do ar
Brasil
Jovem simula sequestro para conseguir R$ 700 e gastar com mulher e drogas
Brasil
Covid: Após contaminação de Queiroga, comitiva brasileira fará novos testes
Política
Nelsinho representa pauta ambiental do Brasil nos EUA
Brasil
Atriz Marina Miranda morre no Rio de Janeiro
Brasil
Covid-19: Brasil registra segundo menor número de casos e de mortes em 2021
Brasil
Homem coloca fogo em casa com ex-mulher e filhos dentro
Vídeos
Vídeo: Ministro da saúde elogia Campo Grande
Geral
Vídeo: "Onda onda, olha a onda", Brasil pode ser atingido por tsunami
Brasil
Butantan finaliza entrega da Coronavac ao Ministério da Saúde

Mais Lidas

Geral
Vídeo: "Peixe de bosteiro", morador de rua engana população de Paranaíba
Polícia
Menino de 2 anos mata prima atropelada após dar partida em carro
Polícia
Funcionários da Energisa ficam sob mira de arma ao tentar podar árvores na Vila Olinda
Polícia
Operação “Dark Money” investiga desvio de R$ 23 milhões no esquema de corrupção em Maracaju