Menu
Busca terça, 09 de março de 2021
(67) 99647-9098
governo março - Estado que Cresce
Brasil

Conta de luz ficará mais cara em 5 Estados em maio

19 abril 2011 - 09h47Arquivo

Os consumidores de cinco Estados brasileiros vão começar a pagar, a partir do próximo mês, pela decisão do governo de estender por mais 25 anos uma espécie de imposto que encarece a conta de luz. No interior de São Paulo, os clientes da CPFL Paulista terão de desembolsar R$ 35,2 milhões com o pagamento da chamada Reserva Global de Reversão (RGR), um aumento de quase 73% em relação ao que foi pago no ano passado.

Além da CPFL, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou, nas últimas semanas, o reajuste das tarifas de outras concessionárias. Em todos os cinco casos analisados, a prorrogação da RGR impactou o porcentual de reajuste aprovado. O encargo é cobrado dos consumidores de energia elétrica há mais de 50 anos e garante dinheiro para a União indenizar empresas no caso de devolução da concessão pública.

A extinção estava prevista para 31 de dezembro de 2010, mas o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva resolveu incluir em uma medida provisória a extensão da cobrança até 2035. Apesar de ainda não ter sido votada no Congresso, a despesa já está sendo considerada nos reajustes, porque a MP tem força de lei.

A tarifa de energia cobrada pela CPFL, que atende 234 municípios do interior paulista, sofreu reajuste médio de 7,38%. A manutenção da RGR respondeu por 0,6 ponto porcentual desse aumento, conforme o diretor da Aneel, Julião Coelho, em seu voto sobre o reajuste da concessionária. Esse efeito também foi reproduzido nas tarifas da Cemig (MG), da Cemat (MT), da Enersul (MS) e da Ampla (RJ).

No caso dos clientes da distribuidora de energia mineira, a despesa com o pagamento da RGR mais que dobrou, passando de R$ 40,3 milhões para R$ 82,5 milhões. "Não houvesse a prorrogação da RGR, esses R$ 40 milhões virariam zero", disse o diretor da Aneel, Romeu Rufino, na votação do reajuste da Cemig, que atende 774 municípios.

A Cemat detém o maior aumento entre os autorizados até agora pela Aneel. O valor estimado é 152% maior que o do último ano. A tarifa da empresa, que atende consumidores em 141 municípios de Mato Grosso, sofreu reajuste médio de 18,06%. A RGR respondeu por quase 10% dessa elevação. O menor impacto será sentido pelos clientes da Ampla, que opera no interior do Rio, onde a previsão de aumento é de apenas 1,56%. As informações são do jornal O Estado de São Paulo.

APP JD1_android

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Morre, aos 82 anos, a jornalista Lúcia Leme
Brasil
Covid: Aos 39 anos, morre humorista da 'A Praça é Nossa'
Brasil
Petrobras não precisa se submeter à Lei das Licitações, decide STF
Brasil
Preços da gasolina em alta também afetaram os preços do etanol
Brasil
Sortudo pode ganhar na Mega-Sena R$ 22 milhões neste sábado
Brasil
MEC suspende ofício que barrava atos políticos em universidades
Brasil
Rock in Rio é adiado para 2022 no Brasil por causa da pandemia de covid-19
Brasil
Futuro: Brasil deve ter carne feita em laboratório entre 2024 e 2025
Brasil
Matéria-prima para 14 milhões de doses da Coronavac chega em São Paulo
Brasil
Avião com vacinas bate em jumento no aeroporto

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio