Menu
Busca domingo, 24 de março de 2019
(67) 99647-9098
TJMS março-19
Brasil

Empresa diz que desativará quatro reatores de Fukushima

30 março 2011 - 09h32
A companhia japonesa Tokyo Electric Power Co (Tepco), disse nesta quarta-feira (30) que irá sucatear quatro reatores da usina nuclear de Fukushima Daiichi, enquanto o país se esforça para controlar a crise nuclear duas semanas após o forte terremoto e tsunami que devastaram o Japão, informou a agência Kyodo. A empresa também disse que os esforços para conter a crise vão levar tempo. Tsunehisa Katsumata, executivo da Tepco, afirmou que "várias semanas" será pouco tempo para estabilizar os reatores. Em um sinal de que a dimensão da catástrofe é enorme, Katsumata admitiu em uma entrevista coletiva que o custo de compensação do desastre irá prejudicar financeiramente a empresa, que se esforçará para evitar a nacionalização. Complexo de Fukushima Daiichi, visto em foto aérea do dia 24 de março (Foto: Reuters)''Pedimos desculpas por provocar no público ansiedade, preocupação e problemas devido às explosões em prédios do reator e da liberação de materiais radioativos'', disse Katsumata no escritório da companhia em Tóquio. 10 mitos sobre energia nuclear ''Nós não temos escolha a não ser sucatear os reatores 1 a 4, se olharmos para as suas condições objetivamente'', acrescentou Katsumata em um momento em que os trabalhadores continuam os esforços para impedir o superaquecimento e para restaurar os sistemas de refrigeração. A empresa informou mais cedo que os reatores 5 e 6, as duas unidades restantes do complexo Daiichi, já estão em condição estável. Desde que perdeu sistemas de refrigeração para reatores após o terremoto e tsunami de 11 de março, a usina tem vazado material radioativo no ar e mar. Mais cedo, a Tepco disse que seu presidente, Shimizu, de 66 anos, foi internado terça-feira por hipertensão e tonturas. Katsumata, que já assumiu o papel de Shimizu temporariamente na liderança dos esforços para solucionar a crise, disse que o presidente deve retornar em breve e continuar tomando a liderança na gestão da crise. Shimizu apareceu poucas vezes em público desde uma conferência de imprensa em 13 de março, dois dias depois do desastre natural. Shimizu ficou debilitado a partir de 16 de março, segundo a empresa. Fonte: G1 com agências internacionais
Sesc Novo

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Escola atacada em Suzano retoma as aulas terça-feira
Brasil
Leilão de áreas portuárias de Vitória e Cabedelo rendem R$ 219,5 mi
Brasil
Diretor Domingos Oliveira morre aos 83 anos no Rio
Brasil
Líder rural é assassinada a facadas em assentamento
Brasil
Maia diz que vai se empenhar em favor da reforma da Previdência
Brasil
Conheça os desembargadores que julgarão Temer
Brasil
“Brasil não tem intenção de intervir na Venezuela”, diz Bolsonaro
Brasil
Barragem da Vale em Minas está em alerta de rompimento
Brasil
Temer fica calado durante interrogatório
Brasil
Para “evitar traições”, deputado propõe levar cônjuges para Brasília

Mais Lidas

Polícia
Médico veterinário morre em acidente de moto
Política
Vídeo - Deputado apanha de vereador e sai machucado
Brasil
Conheça os desembargadores que julgarão Temer
Geral
Acidente na BR-262 deixa um morto e oito feridos