Menu
Busca terça, 28 de janeiro de 2020
(67) 99647-9098
Perkal Topo - janeiro-20
Brasil

Governo Federal suspeita de origem de óleo que afeta a costa brasileira

Presidente Bolsonaro disse não poder revelar ainda o país de origem do óleo

08 outubro 2019 - 08h15Vitória Ribeiro, com informações Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro disse na segunda-feira (07) que já há uma suspeita sobre a origem da mancha de petróleo que atinge o litoral do Nordeste desde o mês passado. Segundo ele, o mais provável é que tenha sido um vazamento causado por um navio e que o produto não é produzido e nem comercializado no Brasil, porém Bolsonaro disse não poder revelar ainda o país de origem do óleo. 

"O que está constatado é que existe um DNA desse petróleo. Ele não é produzido no Brasil nem comercializado no Brasil. Aproximadamente 140 navios fizeram trajeto por aquela região, pode ser algo criminoso, pode ser um vazamento acidental, pode ser um navio que naufragou também. Agora, é complexo, existe a possibilidade, temos no radar um país que pode ser o da origem do petróleo e continuamos trabalhando da melhor maneira possível não só para dar uma satisfação para a sociedade, como colaborar na questão ambiental", disse na entrada do Ministério da Defesa, após comandar uma reunião de emergência sobre o assunto, que teve a participação dos ministros Fernando Azevedo (Defesa), Ernesto Araújo (Relações Exteriroes), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Bento Albuquerque (Minas e Energia).

Um inquérito foi aberto pela Polícia Federal (PF), na semana passada, para apurar a origem da substância. A contaminação também é monitorada por órgãos como o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) desde o dia 2 de setembro, quando as primeiras manchas foram localizadas no litoral nordestino. 

Mais cedo, nesta segunda-feira, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, esteve no litoral de Sergipe acompanhando o trabalho de técnicos ambientais. Pelo Twitter, ele informou que já foram retirados do bar cerca de 100 toneladas de borra de óleo.

"Em Sergipe, vistoriando o local de óleo nas praias. Desde o dia 02 de setembro as equipes do Ibama e ICMBio, junto aos 42 municípios, marinha e demais órgãos no recolhimento de mais de 100 toneladas de borra de petróleo", conforme o tweet de Ricardo Salles.

Bolsonaro também determinou, por meio de decreto, publicado no último sábado (5), uma investigação sobre as causas e a responsabilidade sobre o derramamento do óleo. No despacho, o presidente determinou que sejam apresentados, no prazo de 48 horas, dados coletados e as providências tomadas sobre o problema ambiental. 

A investigação envolve a PF, o Comando da Marinha, o Ibama e o ICMBio. As manchas já atingem o litoral de todos os estados do Nordeste e segue se movimentando pela costa brasileira. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Aos 58 anos, morre diretor do The Voice Kids, Flavio Goldemberg
Brasil
Dívida pública fecha 2019 em R$ 4,249 trilhões
Brasil
Vídeo – Casa desaba e é arrastada por enchente
Brasil
Ana Maria Braga enfrenta novo câncer de pulmão mais agressivo
Brasil
Mega deve pagar R$ 40 mi neste sábado
Brasil
Bolsonaro não recriará Ministério da Segurança
Brasil
''Deus perdoa, a sociedade não'', diz advogada de Bruno
Brasil
Se a pasta de Segurança for reformulada, Moro continua, garante Bolsonaro
Brasil
Vídeo - Prédio desaba com rachadura na contrução
Brasil
Confiança do empresário sobe 65,3 pontos em janeiro

Mais Lidas

Oportunidade
JBS abre 150 vagas em Dourados
Esportes
Prefeitura abre seletiva para projeto de ginástica rítmica
Geral
UEMS suspende divulgação do resultado SISU 2020 temporariamente
Saúde
Prefeitura orienta empresas para evitar foco de dengue em obras públicas