Menu
Busca domingo, 24 de outubro de 2021
(67) 99647-9098
TJMS outubro21
Brasil

Isadora Faber vai lançar ONG em junho para ajudar escolas

27 maio 2013 - 10h34Angela Chagas/Terra

Quando chegou à Casa de Cultura Mario Quintana, em Porto Alegre (RS), para participar de um debate sobre educação e tecnologia no último fim de semana, Isadora Faber não escondia o cansaço. Na sexta-feira ela estava em São Paulo, onde palestrou em uma feira internacional sobre educação, e no sábado teve de acordar cedo para embarcar rumo à capital gaúcha. Mas a menina de 13 anos que se tornou conhecida em todo o país depois de criar uma página no Facebook para denunciar os problemas na escola onde estuda, em Florianópolis (SC), está sabendo aproveitar o sucesso que o Diário de Classe lhe rendeu.

Em uma entrevista ao site Terra, Isadora e sua mãe, Mel Faber, contaram sobre os planos para o futuro - como o livro que Isadora está escrevendo e deve ser lançado até o fim deste ano - e a ideia de transformar o sucesso do Diário de Classe na internet em algo "real", que represente uma mudança na vida de estudantes. "Vamos criar uma ONG, né mãe?", disse a menina. Tímida, ela prefere deixar para Mel a tarefa de explicar os desafios que vêm pela frente.

"Tudo o que a Isadora fez até agora foi de forma virtual. Agora está na hora de ampliar, de dar uma ajuda real a todos os estudantes que enviam mensagens contando os problemas das escolas onde estudam", disse a mãe ao afirmar que a filha recebe milhares de mensagens por mês com denúncias de problemas em instituições de ensino país afora. Ela contou que a ideia é conferir todos os casos, tirar fotos, fazer vídeos e publicar tudo na internet com o objetivo de captar recursos junto a empresas para resolver os problemas.

"Nós queremos deixar o leque bem aberto. Pode ser desde a reforma de um prédio, até a compra de computadores e a capacitação para os professores sobre como usar a tecnologia", afirmou Mel. O plano é que o Diário de Classe seja usado para divulgar esse trabalho. Um site da ONG também deve ser criado.

Mel disse que já providenciou toda a documentação para o registro e que a meta é lançar a ONG no próximo mês. Segundo ela, a família recebeu o apoio de diversos especialistas para a criação da instituição. "Vimos que era preciso fazer algo mais. Quando eu e a Isadora estávamos num evento de educação no Nordeste, um palestrante mostrou a foto de um menino que vive numa área alagada de Manaus e disse que o garoto conhecia o Diário de Classe e queria que a Isadora fizesse algo pela escola dele. Vi ali o tamanho que a página da Isadora ganhou e que isso precisava dar um resultado concreto", disse a mãe.

Represálias na escola diminuíram
Após ter sofrido ameaças de alunos da escola municipal onde estuda por manter as publicações no Diário de Classe e de reclamar de represálias dos professores no ano passado, Isadora disse que a situação melhorou este ano, mas que ainda está longe de ser tranquila. "Tem uma tentativa de me censurar, mas bem menos que no ano passado", afirmou a menina. Segundo ela, mesmo participando de diversos eventos fora de Santa Catarina, está sendo "tranquilo" acompanhar os conteúdos da oitava série.

A menina que afirma gostar de todas as matérias, mas ter uma preferência por química, não sabe ainda se vai para uma escola privada ou se continua na rede pública quando terminar o ano. O colégio municipal onde estuda oferece somente o ensino fundamental e é preciso procurar uma nova instituição para o ensino médio. Embora não saiba o seu destino para o ano que vem, ela está certa quanto ao futuro profissional: quer ser jornalista.

Questionada se não teria nenhuma paixão pelo magistério, a garota é enfática: "Não, nunca pensei". Por enquanto, ela já está treinando para a futura profissão nos seminários sobre educação que participa em todo o país. "A mensagem que eu quero deixar é que acreditem nos sonhos. Se acreditar, é possível mudar", disse a menina ao concluir sua participação no Conexões Globais, o debate de que participou em Porto Alegre.

Ela não se intimidou em sentar ao lado do secretário de Educação do Rio Grande do Sul, José Clóvis Azevedo, e de outros especialistas em educação. Respondeu a perguntas sobre a preparação dos professores para lidar com as tecnologias e sobre a importância dos diários de classes criados a partir do seu. A timidez que ela abandona quando está em frente ao computador também parece ficar de lado quando sobe ao palco.

Via Terra

Unica - primavera

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Prédio desaba, deixa um morto e três feridos
Brasil
Incor pede autorização à Anvisa para testes clínicos de vacina spray
Brasil
Suspensão de validade de concursos na pandemia é aprovada pela CCJ da Câmara
Brasil
A Receita Federal abriu hoje para verificação lote residual de Imposto de Renda
Brasil
Violência contra crianças: 86% dos casos são praticados por conhecidos
Brasil
Paralisação dos caminhoneiros já resulta em falta de combustível em alguns postos
Brasil
Ministro do STF determina prisão e extradição de Allan dos Santos
Brasil
Vídeo: Homem se desespera ao ver que racha com os amigos acabou em morte
Brasil
Lei proíbe sacrifício de cães e gatos saudáveis por órgãos de zoonose
Brasil
Corpo de pescador é encontrado dentro de jacaré

Mais Lidas

Vídeos
Tempestade atinge Bodoquena agora
Vídeos
Granizo em Dois Irmãos
Vídeos
Tempestade com granizo atinge Campo Grande agora
Vídeos
Vídeo: Fogo na fiação elétrica deixa funcionário da Energisa preso em uma 'chuva' de faísca