Menu
Busca sábado, 24 de julho de 2021
(67) 99647-9098
TJMS julho-21
Brasil

Pobreza e aumento do número de assassinatos estão dissociados, aponta pesquisa

02 março 2013 - 20h34Reprodução

O combate à pobreza não assegura a redução da violência nem a da taxa de homicídios no Brasil, conforme informação do estudo Avanço no Socioeconômico, Retrocesso na Segurança Pública, Paradoxo Brasileiro?, do professor doutor Luis Flávio Sapori, coordenador do Centro de Pesquisas de Segurança Pública da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG). O estudo usa dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e das Nações Unidas. 

Para Sapori, é fundamental as autoridades observarem três fatores que levam à violência e que não têm relação direta com a pobreza. “É preciso desfazer esse senso comum de que combatendo a pobreza quase que de maneira imediata será possível reduzir a violência e a taxa de homicídios no país”, destacou o pesquisador à Agência Brasil.

“Não é assim que funciona”, acrescentou. “A consolidação das nossas instituições democráticas e de uma efetiva justiça social dependem da nossa capacidade de controlar a criminalidade que vitimiza amplos segmentos da população, em especial os mais pobres.”

Os fatores que contribuem para o aumento da violência e, consequentemente, para a elevação da taxa de homicídios, mencionados na pesquisa de Sapori, são a consolidação do tráfico de drogas, principalmente o consumo de drogas, os elevados níveis de impunidade e a necessidade de adoção de medidas mais eficientes para combater os dois aspectos anteriores.

“O que preocupa é como o governo trata a questão da violência e a questão da pobreza e da miséria”, ressaltou Sapori, que deverá publicar o estudo na revista Desigualdade e Diversidade, da PUC-MG. “É preciso repensar o que tem sido feito e como agir. A pesquisa mostra que, apesar dos ganhos sociais, a violência aumenta.”

Pelos dados da pesquisa, há um aumento contínuo e gradual na taxa de violência no período de 1999 a 2010. O número saltou de 21 homicídios para cada grupo de 100 mil habitantes para 31 homicídios (para o mesmo número de habitantes). A taxa é considerada elevada, segundo Sapori, e pode ser comparada a alguns países africanos apontados como os mais violentos do mundo.

“Não há qualidade de vida em uma sociedade que todos os anos coleciona mais de 50 mil vítimas de assassinatos”, ressalta o estudo, referindo-se à média de 50 assassinatos para cada 100 mil habitantes, registrada em alguns países africanos. Pela pesquisa, os países da Europa, da Ásia e da Oceania registram, em média, os índices mais baixos de homicídios, com cerca de três assassinatos para cada 100 mil habitantes.

Nas Américas, o Brasil é apontado entre os países mais violentos, ao lado do Paraguai, da Guatemala e de El Salvador, com base em dados da Organização das Nações Unidas (ONU). Na África, os mais violentos são África do Sul, Uganda, Angola e Nigéria.

Via Agência Brasil

Cruzeiro do Sul - 44 anos

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Nascidos em julho recebem auxílio neste sábado
Brasil
Homem é preso após invadir apartamento e estuprar idosa
Brasil
Netflix aumenta valores dos planos de assinatura; veja novos preços
Brasil
Homem mata ex com cinco tiros e comete suicídio em seguida
Brasil
Mulher se nega a tomar vacina contra covid e é demitida por justa causa
Brasil
Vídeo: Mulher flagra marido com travesti dentro do carro e 'pancadaria come solta'
Brasil
Mulher é presa por forjar sequestro dela e do filho e pedir R$70 mil de resgate
Brasil
Vídeo: 'Não contavam com a minha astúcia', bandido é morto por segurança durante assalto
Brasil
Covid: 130 mil crianças perderam um dos responsáveis no Brasil, diz estudo
Brasil
Vídeo: Para fugir de estupro, empregada pula da sacada de prédio

Mais Lidas

Polícia
Corpo encontrado em Maracaju é de homem desaparecido em Campo Grande
Polícia
Mulher vai visitar o namorado e morre atacada por seis pitbulls
Polícia
Ladrão causa curto-circuito ao furtar fios de um poste de energia no centro de Campo Grande
Polícia
Vídeo: Entregador filma dados do cartão de cliente para cometer fraudes