Menu
Busca quarta, 12 de agosto de 2020
(67) 99647-9098
TJMS agosto/20
Brasil

Presidentes dos países do Mercosul se reúnem para discutir integração do bloco

07 dezembro 2012 - 10h57Divulgação

Acontece hoje (07) a Cúpula dos Chefes de Estado do Mercosul, com a presença dos presidentes Dilma Rousseff (Brasil), Hugo Chávez (Venezuela), Cristina Kirchner (Argentina) e José Pepe Mujica (Uruguai). Durante o encontro, serão discutidos temas de interesse da região como a entrada do Equador e da Bolívia ao Mercosul, a ampliação das negociações externas e a suspensão do Paraguai do bloco.

Fórum Empresarial
Alguns presidentes deverão participar também do encerramento do Fórum Empresarial do Mercosul, evento simultâneo à Cúpula de Chefes que também começa nesta sexta-feria (07). O fórum deve reunir cerca de 500 empresários sul-americanos que vão levantar sugestões do diversos setores da economia da região para incentivar o comércio e o desenvolvimento econômico. A principal demanda é definir taxas de importação e exportação entre os países.

As discussões do Fórum Empresarial vão se concentrar em quatro eixos: agronegócio, energia (com foco em petróleo e gás), inovação e infraestrutura e logística. A disposição é buscar investimentos recíprocos e incentivos ao comércio tanto interno do bloco quanto com outras regiões, como a União Europeia, a China e os Estados Unidos.

Os temas serão tratados em painéis separados, cada um deles com um moderador e quatro debatedores. As questões relativas às pequenas e médias empresas e à integração produtiva serão tratadas em todos os painéis. Os debates ocorrerão no Royal Tulip Brasília Alvorada, em Brasília (DF).

Fórum Social
Desde segunda-feira (04), acontece, também em Brasília, outro evento ligado à Cúpula dos Chefes, a 14ª Cúpula Social do Mercosul. O pedido de integração dos movimentos sociais foi a temática da abertura do encontro, para promoção da cidadania e dos direitos sociais como forma de diminuir as divergências entre os países do Mercosul e manter a unidade do bloco.

Em seu discurso, o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, citou avanços importantes no desenvolvimento de uma cidadania comum entre os países do bloco, como medidas adotadas nos últimos anos para facilitar a livre circulação de pessoas, a harmonização de legislações previdenciárias e trabalhistas, a modernização da identificação nas fronteiras e avanços na defesa do consumidor.

Criada em 2006, a Cúpula Social do Mercosul representa um espaço de diálogo entre os governos e a sociedade civil. Além de autoridades dos países do bloco, o evento tem a presença de representantes de centrais sindicais, confederações da agricultura familiar, pastorais sociais, cooperativas e organizações de pequenos e médios empresários. Também participam entidades relacionadas a temas como economia solidária, direitos humanos, mulheres, juventude, meio ambiente, saúde e educação. A partir desta edição, a Cúpula Social passará a ocorrer a cada semestre.

Mercosul
O Mercosul é formado pelo Brasil, pela Argentina, pelo Uruguai, pela Venezuela e pelo Paraguai – que está suspenso do bloco até abril de 2013. O Chile, o Equador, a Colômbia, o Peru e a Bolívia estão no grupo como países associados. Há ainda membros observadores: o México e a Nova Zelândia.

Em 31 de julho deste ano, foi formalizada a adesão da Venezuela ao Mercosul. Com a entrada da Venezuela, o bloco reúne 270 milhões de pessoas, o equivalente a 70% da população da América do Sul, cujo Produto Interno Bruto (PIB) gira em torno de US$ 3,3 trilhões, aproximadamente 83,2% do PIB sul-americano, em um território de 12,7 milhões de quilômetros quadrados ou 72% da região.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) faz previsões positivas para o crescimento econômico dos países que compõem o Mercosul. A previsão de crescimento no Paraguai é 11%, no Brasil e no Uruguai, 4%, na Venezuela, 3,3%, e na Argentina, 3,1%.

De 2007 a 2011, as exportações interregionais aumentaram 58,44%, e o intercâmbio comercial do bloco com o mundo aumentou 53,82%. O Mercosul é considerado uma potência agrícola, por ser o maior exportador líquido mundial de açúcar e o maior produtor e exportador mundial de soja.

Desde 2007, o Fundo de Convergência Estrutural do Mercosul (Focem) aprovou 40 projetos em diversas áreas, totalizando US$ 1,2 bilhão. O maior projeto apresentado ao fundo foi a criação da linha de transmissão elétrica Brasil-Paraguai, calculada em US$ 555 milhões.

Via Portal Brasil

Senar - agosto2020

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Michelle Bolsonaro perde avó para o coronavírus
Brasil
Acidente mata cantor sertanejo em rodovia
Brasil
Nelsinho fará parte de comitiva que vai ao Líbano
Brasil
Prefeitos querem flexibilizar pagamento mínimo da educação em 2020
Brasil
Anac autoriza táxi-aéreo a vender assento individual
Brasil
Mega sorteia R$ 6,5 milhões neste sábado
Brasil
Vídeo: motoboy sofre ofensas racistas em condomínio
Brasil
AO VIVO: Bolsonaro libera recurso para vacina contra o coronavírus
Brasil
Soldado é encontrado morto em quartel e família suspeita de tortura
Brasil
Corte de energia por falta de pagamento volta nesta segunda

Mais Lidas

Polícia
Negociação com homem que tenta suicídio, dura mais de 11 horas
Polícia
AO VIVO - Homem tenta se matar no Cophavilla
Geral
Bolsonaro corta 60% da verba destinada à Rede Globo
Polícia
Agora: Homem faz família de refém e fala em suicídio