Menu
Busca quinta, 24 de junho de 2021
(67) 99647-9098
Brasil

Reintegração de posse de terra indígena deixa 8 feridos no interior de MT

11 dezembro 2012 - 08h20Reprodução

No primeiro dia da reintegração de posse na Terra Indígena Marãiwatsédé/Gleba Suiá Missú, na região de Ribeirão de Cascalheira, interior do Mato Grosso (MT), um confronto entre invasores e policiais deixou oito pessoas feridas.

Segundo policiais locais, o conflito aconteceu entre homens do povoado Posto da Mata, último reduto previsto para ser desocupado, que teriam ido até a fazenda Jordão, já desocupada. Eles chegaram com paus e pedras jogando nos policiais da Força Nacional. Há informação de que há incentivo dos pequenos posseiros pelos grandes proprietários.

A desocupação da fazenda começou por volta de meio dia numa verdadeira ação de guerra. Os oficiais estavam acompanhados de policiais rodoviários federais enquanto um helicóptero sobrevoava a área. Nesta primeira etapa, foram desocupadas grandes propriedades.

Segundo levantamento do Ministério Público Federal (MPF), grande parte das áreas da Terra Indígena Marãiwatsédé está nas mãos de 22 grandes posseiros. O grupo constituído de prefeitos, ex-prefeitos, vereadores, empresários e até um desembargador é dono de mais de 32 fazendas o equivalente a 44,6 mil hectares.

O conflito aconteceu entre homens do povoado Posto da Mata, último reduto previsto para ser desocupado, que teriam ido até a fazenda de nome Jordão. Eles chegaram com paus e pedras jogando nos policiais da Força Nacional.

O MPF informou que desconhecia o confronto e que só no fim do dia receberia informações da equipe. O órgão admite que, no caso de desobediência, os moradores que estivessem resistindo poderiam ser enquadrados no crime de "desobediência e obstrução a ordem judicial". "A ordem é cumprir a determinação judicial", disse a procuradora Marcia Brandão Zollinger.

A saída dos fazendeiros e posseiros que ocuparam a área indígena deveria ter acontecido até o fim do mês de setembro. Poucos dias antes do fim desse prazo, duas decisões do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) suspenderam a desintrusão, desobrigando, temporariamente, a saída dos ocupantes da área que pertence aos índios da etnia Xavante. No dia 17 de outubro, o presidente do STF, ministro Carlos Ayres Brito, deferiu o pedido do MPF e suspendeu os efeitos da decisão liminar proferida pelo TRF1.

Via Estadão

Vai di Vinho

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
Processo em pauta no STF vai moldar a disputa por terras no Brasil
Brasil
Bolsonaro deve anunciar prorrogação do auxílio emergencial nesta semana
Brasil
Ricardo Salles é exonerado
Agronegócio
"O Agro será o setor mais dinâmico da economia este ano" garante Tereza Cristina
Brasil
Grupo religioso procura advogado para defender Lázaro
Brasil
Presidente da Anvisa apela à população que tome segunda dose da vacina
Brasil
Presidente da Anvisa ressalta imunização com duas doses da vacina
Brasil
Jovem de 19 anos perde parte do pulmão após contrair fungos durante uso de narguilé
Brasil
Covid: Brasil tem 2º maior número de casos em 24h
Brasil
Entra em vigor lei que prorroga regras de reembolso de passagens aéreas

Mais Lidas

Polícia
Mãe confessa que matou bebê de 5 meses afogada, em Campo Grande
Polícia
Bebê de 5 meses foi morta afogada, porque mãe drogada queria tirar 'chip da besta'
Polícia
Bebê de 5 meses morre após suspeitas de violência sexual, em Campo Grande
Polícia
Com câncer em estado avançado, idoso comete suicídio na varanda de casa