Menu
Busca sábado, 15 de agosto de 2020
(67) 99647-9098
TJMS agosto/20
Brasil

Reintegração de posse de terra indígena deixa 8 feridos no interior de MT

11 dezembro 2012 - 08h20Reprodução

No primeiro dia da reintegração de posse na Terra Indígena Marãiwatsédé/Gleba Suiá Missú, na região de Ribeirão de Cascalheira, interior do Mato Grosso (MT), um confronto entre invasores e policiais deixou oito pessoas feridas.

Segundo policiais locais, o conflito aconteceu entre homens do povoado Posto da Mata, último reduto previsto para ser desocupado, que teriam ido até a fazenda Jordão, já desocupada. Eles chegaram com paus e pedras jogando nos policiais da Força Nacional. Há informação de que há incentivo dos pequenos posseiros pelos grandes proprietários.

A desocupação da fazenda começou por volta de meio dia numa verdadeira ação de guerra. Os oficiais estavam acompanhados de policiais rodoviários federais enquanto um helicóptero sobrevoava a área. Nesta primeira etapa, foram desocupadas grandes propriedades.

Segundo levantamento do Ministério Público Federal (MPF), grande parte das áreas da Terra Indígena Marãiwatsédé está nas mãos de 22 grandes posseiros. O grupo constituído de prefeitos, ex-prefeitos, vereadores, empresários e até um desembargador é dono de mais de 32 fazendas o equivalente a 44,6 mil hectares.

O conflito aconteceu entre homens do povoado Posto da Mata, último reduto previsto para ser desocupado, que teriam ido até a fazenda de nome Jordão. Eles chegaram com paus e pedras jogando nos policiais da Força Nacional.

O MPF informou que desconhecia o confronto e que só no fim do dia receberia informações da equipe. O órgão admite que, no caso de desobediência, os moradores que estivessem resistindo poderiam ser enquadrados no crime de "desobediência e obstrução a ordem judicial". "A ordem é cumprir a determinação judicial", disse a procuradora Marcia Brandão Zollinger.

A saída dos fazendeiros e posseiros que ocuparam a área indígena deveria ter acontecido até o fim do mês de setembro. Poucos dias antes do fim desse prazo, duas decisões do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) suspenderam a desintrusão, desobrigando, temporariamente, a saída dos ocupantes da área que pertence aos índios da etnia Xavante. No dia 17 de outubro, o presidente do STF, ministro Carlos Ayres Brito, deferiu o pedido do MPF e suspendeu os efeitos da decisão liminar proferida pelo TRF1.

Via Estadão

Senar - agosto2020

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Vídeo: Casal aparece fazendo sexo em reunião virtual de vereadores
Brasil
Filha de Belchior é presa por envolvimento em homicídio de suspeito de pedofilia
Brasil
Michelle Bolsonaro perde avó para o coronavírus
Brasil
Acidente mata cantor sertanejo em rodovia
Brasil
Nelsinho fará parte de comitiva que vai ao Líbano
Brasil
Prefeitos querem flexibilizar pagamento mínimo da educação em 2020
Brasil
Anac autoriza táxi-aéreo a vender assento individual
Brasil
Mega sorteia R$ 6,5 milhões neste sábado
Brasil
Vídeo: motoboy sofre ofensas racistas em condomínio
Brasil
AO VIVO: Bolsonaro libera recurso para vacina contra o coronavírus

Mais Lidas

Justiça
STF anula demarcação da Fazenda Santa Alice
Geral
Funcionário do Detran testa positivo e alega omissão do órgão
Esportes
Vexame histórico: Bayern “enfia” 8 no Barça na Champions
Brasil
Vídeo: Casal aparece fazendo sexo em reunião virtual de vereadores