Menu
Busca quinta, 13 de agosto de 2020
(67) 99647-9098
TJMS agosto/20
Brasil

STJ manda soltar Pezão

Ele usará tornozeleira eletrônica e não poderá ocupar cargos públicos

10 dezembro 2019 - 16h51Joilson Francelino, com informações da Agência Brasil

A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou nesta terça-feira (10), por 3 votos a 0, a soltura do ex-governador do Rio de Janeiro Luiz Fernando Pezão, que está preso desde novembro do ano passado no âmbito da Operação Boca de Lobo, um dos desdobramentos da Lava Jato fluminense. 

A prisão de Pezão fora autorizada pelo ministro do STJ Felix Fischer, quando o político ainda estava em pleno exercício do mandato e após a Procuradoria-Geral da República (PGR) acusá-lo de receber mais de R$ 39 milhões em propina em um esquema de corrupção instalado entre 2007 e 2015 no governo do Rio.

Agora, os ministros da Sexta Turma do STJ entenderam que não estão mais presentes as condicionantes para a manutenção da prisão preventiva, entre as quais a possibilidade de ele voltar a delinquir ou de interferir na apuração dos fatos pelas autoridades.

Votaram pela soltura de Pezão os ministros Rogério Schietti, relator, Laurita Vaz e Nefi Cordeiro. Os ministros Sebastião Reis Júnior e Antonio Saldanha Palheiro declaram-se impedidos e não participaram do julgamento.

Em substituição à prisão, Pezão deverá usar uma tornozeleira eletrônica e será obrigado a ficar em casa entre as 20h e as 6h. Ele ainda fica proibido de deixar o estado do Rio de Janeiro sem autorização judicial e está impedido de ocupar cargos ou funções públicas tanto estaduais como municipais. O político também não pode entrar em contato, de nenhuma maneira, com outros envolvidos nos casos em que é investigado.

O advogado Fábio Mirza, que representa Pezão, comemorou o habeas corpus concedido a seu cliente. "Recebo com alegria. Decisão judicial não se comenta, se cumpre. Foi correta”, afirmou Mirza após o julgamento. Ele disse, porém, que o ex-governador não deve deixar nesta terça-feira (10) a unidade prisional da Polícia Militar em que se encontra, uma vez que ainda é necessário notificar as autoridades responsáveis por cumprir a determinação.

Senar - agosto2020

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Michelle Bolsonaro perde avó para o coronavírus
Brasil
Acidente mata cantor sertanejo em rodovia
Brasil
Nelsinho fará parte de comitiva que vai ao Líbano
Brasil
Prefeitos querem flexibilizar pagamento mínimo da educação em 2020
Brasil
Anac autoriza táxi-aéreo a vender assento individual
Brasil
Mega sorteia R$ 6,5 milhões neste sábado
Brasil
Vídeo: motoboy sofre ofensas racistas em condomínio
Brasil
AO VIVO: Bolsonaro libera recurso para vacina contra o coronavírus
Brasil
Soldado é encontrado morto em quartel e família suspeita de tortura
Brasil
Corte de energia por falta de pagamento volta nesta segunda

Mais Lidas

Polícia
“Estou com a mão coçando”, diz neto ao ameaçar bater no avô
Justiça
STJ manda Queiroz de volta para a cadeia
Cidade
Demitidos do Consórcio Guaicurus terão plano de saúde e "passe grátis"
Polícia
Após 12 horas de negociação, Bope invade casa e resgata homem que tentava suicídio