Menu
Busca domingo, 12 de julho de 2020
(67) 99647-9098
TJMS julho20
COLUNA

Comportamento

Sálua Omais

INTELIGENCIA ESPIRITUAL - A FORÇA DA VIDA

20 dezembro 2019 - 14h14

A espiritualidade tem sido, nos últimos anos, uma área muito estudada por diversos segmentos profissionais, e, apesar do desafio em comprovar seus efeitos ‘’cientificamente’’ falando, ela continua atraindo a atenção de pesquisadores. Há algum tempo atrás, após a grande repercussão dos estudos sobre a inteligência emocional, surgiu também a descoberta a respeito da inteligência espiritual, que pode ou não ter algum vínculo com a religiosidade, mas mais do que isso, é uma conexão do homem com algo maior, que o mobiliza e o ajuda a enfrentar as mazelas da vida.

O espírito ou alma humana é definido como aquilo que dá vida ao organismo, que nos leva à necessidade de fazer perguntas ligadas ao valor e aos porquês da vida e de nossas ações. A inteligência espiritual cria a capacidade de escolhas, conforme aquilo que é mais forte e importante na vida de cada um, assim como um senso moral ligado ao que é certo ou errado, ao bem ou o mal. Nos conecta à imaginação, à criatividade, e às mais diversas possibilidades que o ser humano possa ter de sonhar, de criar algo novo, de superar dificuldades em busca de algo relevante para si ou para a sociedade.

Na década de 90, cientistas descobriram o ponto “Deus” no cérebro, que, segundo eles, seria uma região que unifica e confere sentido às nossas experiências, e por isso a inteligência espiritual está ligada a capacidade de solucionar problemas de sentido e valor, à capacidade do ser humano de viver e agir dentro de um contexto mais amplo, com significados, ao invés de levar somente uma vida rasa, onde não existe uma linha de continuidade para aquilo que se faz. As características da inteligência espiritual são um grau elevado de autopercepção, habilidade para enfrentar e transcender a dor e enfrentar o sofrimento, adaptabilidade, inspiração por visões de longo prazo e valores relevantes, autenticidade, facilidade de fazer conexões do conhecimento, e uma grande tendência de questionar e entender os ‘’porquês’’ das coisas.

Enquanto a inteligência emocional nos dá a percepção de nossos sentimentos e dos sentimentos dos outros, na inteligência espiritual, a percepção é sobre nós e nosso agir no mundo. Na inteligência emocional existe o objetivo de ampliar a percepção do indivíduo sobre a situação em que ele se encontre, afim de que ele se comporte apropriadamente e se adapte àquela situação, da melhor maneira possível, usando sobretudo a autoconsciência e o autocontrole. Na inteligência espiritual, a questão é como conduzir determinada situação, e perguntar se queremos mesmo estar ali e o quanto é importante suportar aquilo, ou tentar mudar o que acontece. A inteligência espiritual é, de forma simples e objetiva, a inteligência da alma, aquela na qual não apenas reconhecemos valores que são bons, como também descobrimos nossos próprios valores. É ela que nos dá a consciência sobre nossa existência no mundo, nossa intuição, nossa capacidade de refletir sobre os problemas da vida e da morte e sobre o sofrimento humano.

Sálua Omais é Psicóloga e Palestrante, Doutoranda e Mestre em Psicologia da Saúde e Saúde Mental, Master Coach e Master Trainer em Psicologia Positiva, Neurossemântica e PNL. É titular do site www.psicotrainer.com.br onde escreve artigos diversos sobre Psicologia Positiva, Coaching e Inteligência Emocional.

Deixe seu Comentário

Leia Também

INTUIÇÃO – PODEMOS OU NÃO ACREDITAR NELA?
Energia para recomeçar
INTELIGENCIA ESPIRITUAL - A FORÇA DA VIDA
COMPRAS DE FIM DE ANO: COMO CONTROLAR OS EXCESSOS?
RESPEITO: COM O QUE E PARA QUEM?