Menu
Busca terça, 05 de julho de 2022
(67) 99647-9098
Prefeitura - Reviva Junho-julho22
COLUNA

Esplanada

Leandro Mazzini

Bolsonaro turbina orçamento da Codevasf

12 abril 2022 - 06h39

Controlada por partidos do Centrão, a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) teve salto expressivo no orçamento durante o governo de Jair Bolsonaro (PL). Os recursos passaram de R$ 1,29 bilhão, em 2019, para R$ 2,11 bilhões (despesas previstas) neste ano. Em 2020, foram R$ 1,62 bilhão e, no passado, R$ 1,77 bilhão, conforme dados do Portal da Transparência. A empresa atua no financiamento de projetos como a construção de cisternas e obras de irrigação. Os cargos de diretoria e superintendências são loteados por partidos aliados do Planalto.

Apadrinhado  

Diretor-presidente da Codevasf, o engenheiro Marcelo Andrade Moreira Pinto foi indicado por caciques do antigo DEM, agora União Brasil.

Primo  

Quem comanda a superintendência da empresa em Alagoas é João José Pereira Filho, primo do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).

Desafetos  

No evento Brazil Conference, realizado em Boston (EUA) no fim de semana, tiveram que colocar Sergio Moro e Cristiano Zanin (advogado de Lula) em dias diferentes. Nem se olharem na plateia queriam.

Soro

A Associação Brasileira dos Centros de Diálise e Transplantes (ABCDT) notificou o Ministério da Saúde sobre a falta de frascos de soro fisiológico, insumo necessário para o tratamento de diálise. A entidade recebeu denúncia de clínicas de mais de 25 cidades sobre a falta de soro nos estoques e a impossibilidade de reposição do material.

Sensível

À Coluna, o presidente da Associação, Marcos Vieira, alerta: "Entendemos que isto é uma ameaça à vida de pacientes que fazem diálise. Solicitamos ao Ministério da Saúde que tome as providências necessárias para normalizar o mercado e evitar o desabastecimento numa área da saúde tão sensível”.

Peso

Senadores que retiraram assinaturas da CPI do MEC colocaram na balança o peso do apoio evangélico nas eleições deste ano. A comissão, se instalada, vai mirar a atuação de pastores na intermediação de emendas. Assinaram e depois voltaram atrás os senadores Oriovisto Guimarães (Podemos-PR), Styvenson Valentim (Podemos-RN), Weverton Rocha (PDT-MA) e Rose de Freitas (MDB-ES).

Aceno  

Em aceno ao mercado financeiro, o ex-presidente Lula e os coordenadores de sua pré-campanha não falam mais em revogar a reforma trabalhista. O discurso petista agora é fazer uma  “revisão” na legislação modificada durante o governo de Michel Temer.   

Carta

Lideranças indígenas estão em pé de guerra contra o Congresso Nacional, onde tramitam projetos que alteram regras de exploração de terras, licenciamento ambiental e uso de agrotóxicos. A Frente Parlamentar em Defesa dos Povos Indígenas lançou carta aberta contra o PL 191/20, que permite a mineração em reservas. “O projeto apresenta evidentes problemas jurídicos e de inconstitucionalidade e desconsidera tratados internacionais dos quais o Brasil é signatário”, diz a carta.  

Sufoco no metrô

A atriz Claudia Raia foi vista ontem dentro do metrô da linha Ipanema, e desceu no Largo da Carioca, reconhecida por fãs. Alguns, porém, decidiram implicar com a artista. Não conseguimos contato com a assessoria até o fechamento da Coluna.

Zema

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), já perdeu o apoio de pelo menos uma dúzia de deputados estaduais por causa de declarações do seu secretário de Governo, Igor Eto.

Ucranianos no Brasil

O Brasil já concedeu 74 vistos e 27 autorizações de residência humanitária para cidadãos ucranianos. O êxodo provocado pela guerra com a Rússia já levou 2,5 milhões de pessoas a fugir para a Polônia e outras 600 mil para a Romênia, só para citar os dois países que mais receberam refugiados da Ucrânia.

Deixe seu Comentário

Leia Também

‘Sequestro’ de espaço
Corrupção matou Itaboraí
PRF contra Bolsonaro
Blefe de Jefferson
Lupa na mão