Menu
Busca terça, 05 de julho de 2022
(67) 99647-9098
Prefeitura - Reviva Junho-julho22
COLUNA

Esplanada

Leandro Mazzini

Briga de capo

08 abril 2022 - 06h35

A disputa judicial que apeou da presidência do PROS Eurípedes Junior, suspeito de ocultação de bens e uso indevido de dinheiro partidário, parece briga de capo cujo script não muda. Mal assumiu o controle do partido dia 8 de março, por ordem judicial, Marcos Vinícius Holanda já usou a tesouraria do partido para avalizar pagamento de mais de R$ 10 milhões a escritório de consultoria com quem teve contrato privado no imbróglio judicial com Eurípedes. Quem denuncia isso internamente na legenda é Thiago Pereira Moura Fé, que se apresenta no partido como o tesoureiro de fato.

Boa Morte

Fé redigiu um texto para Holanda e para o tesoureiro - Edmilson Santana da Boa Morte - que o PROS nomeou à sua revelia. Ele acusa a direção de tentar nomeá-lo junto ao TSE para manter o pagamento.

Bloqueio

O caso foi parar na Justiça, e a Caixa bloqueou as contas do partido nas quais são depositados recursos dos fundos eleitoral e partidário até que a briga seja resolvida.

Tebet favorita

Simone Tebet (MDB-MS) ganhou força para encabeçar a candidatura presidencial da terceira via. Mas não convence a ala veterana do partido que já fechou apoio a Lula.

Base

Com a base aliada na Câmara fortalecida após a janela partidária, o governo quer aprovar a toque de caixa projetos da chamada “agenda de costumes”. Um deles, o PL 3179/2012, dispõe sobre a possibilidade de oferta domiciliar da educação básica (homeschooling).

Resistência

A bancada evangélica já traçou estratégia para a votação da proposta nas próximas semanas em encontro – a portas fechadas – com o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), e o ministro interino da Educação, Victor Godoy. O projeto tem forte resistência da Frente Parlamentar Mista da Educação.  

Chapa

PSB e PT confirmam oficialmente hoje a chapa Lula-Alckmin em reunião em São Paulo. Mas nem tudo está pacificado. Alckmin silenciou após Lula ter dito que o aborto "deveria ser transformado numa questão de saúde pública”. Os dois partidos também duelam e seguem sem consenso sobre pré-candidaturas em São Paulo e Rio Grande do Sul. 

Xuxa x Malta 

Xuxa Meneghel perdeu ação por danos morais contra o ex-senador e pastor evangélico Magno Malta. A briga teve início na Justiça após Malta criticar, em vídeo, o livro publicado pela apresentadora com temática LGBTQIA+. Cabe recurso da decisão.

Maranhãozinho

A Justiça Eleitoral condenou o pré-candidato ao governo do Maranhão, Josimar Rodrigues, conhecido como Josimar de Maranhãozinho (PL), por propaganda eleitoral antecipada. Em dezembro do ano passado, o deputado – segundo a decisão - fez campanha durante o “Encontro de Prefeitos do PL”.

Maços

Maranhãozinho, do mesmo partido do presidente Bolsonaro, já foi flagrado com maços de dinheiro e é investigado por suspeita de desviar recursos de emendas parlamentares. Outro pré-candidato, Lahesio Bonfim (PTB), também foi condenado por uso de carro de som, jingle e fogos de artifício em visitas a municípios maranhenses. A multa aplicada é de R$ 5 mil.

Assédio  

O governo Jair Bolsonaro ainda não ratificou a Convenção 190 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que traz um conjunto de regras para tornar o ambiente laboral mais saudável. Em vigor desde junho de 2021, a convenção é o primeiro tratado internacional sobre violência e assédio no mundo do trabalho.  

Energia

Levantamento realizado pela Associação Brasileira de Recuperação Energética de Resíduos (Abren)  aponta que o DF e entorno têm potencial de geração de energia a partir do lixo urbano. A região tem a possibilidade de receber sete usinas de recuperação energética (URE), com 20 MW de potência instalada cada.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

‘Sequestro’ de espaço
Corrupção matou Itaboraí
PRF contra Bolsonaro
Blefe de Jefferson
Lupa na mão