Menu
Busca terça, 23 de julho de 2019
(67) 99647-9098
COLUNA

Esplanada

Leandro Mazzini

A transparência vem de fora

06 fevereiro 2013 - 07h16

O presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), estuda nomes independentes, como diretores de ONGs, não ligados a políticos e sem qualquer apadrinhamento de senadores para ocupar a Secretaria da Transparência que prometeu em sua posse. Será criada após o Carnaval. No esforço de apagar o escândalo de 2007 junto à sociedade, hoje – se houver tempo na agenda – ou depois do feriado ele reúne a Mesa Diretora e anuncia cortes de cargos e diretorias. 

Limpeza de Alves
A limpeza de Henrique Alves, no segundo dia como presidente, foi liberal. As quadras onde moram os deputados foram tomadas por tratores, pás e cortadores de gramas.

Sobe e desce
O líder do PMDB Eduardo Cunha (RJ) anda distante do Planalto. Ontem às 17h, com líderes da base no Palácio, ele visitava a presidência do... DEM, no 26º andar do Senado.

Justificativa
À coluna, Cunha explicou que escalou o deputado Marcelo Castro (PI) para representá-lo no debate sobre Orçamento. 

Rapapé
O vice-presidente Michel Temer recebeu no Palácio do Jaburu na noite de segunda os principais nomes do PMDB para um jantar de poucos, no qual teve muito a comemorar. Com exceção de expoentes da bancada mineira, que ficará sem ministério reivindicado, ninguém saiu triste dali. Eduardo Cunha soltou: ‘Estamos todos afinados’.

O nome
O baiano Walter Pinheiro (PT) tornou-se um dos senadores mais paparicados do Congresso. Sob sua mesa está a relatoria do projeto que cria a Secretaria de Microempresa de Dilma, e a nova tabela do FPE. Já cobrou o presidente Renan.

Sem recurso
O corregedor do CNJ, Francisco Falcão, joga duro contra o lobby no judiciário e deve aprovar resolução que disciplina a participação de magistrados e seus familiares em eventos patrocinados ou subsidiados por empresas privadas.

Introspecção
Com derrota para a presidência da Câmara, a ex-vice Rose de Freitas (PMDB-ES) recolheu-se ontem decepcionada com os votos que teve. A conta era outra.

Dica
Agora ministra do TCU, a ex-deputada Ana Arraes (PE), filha do saudoso Miguel, disse um dia à coluna: ‘Papai me ensinou que a dor do voto é maior que a dor do amor’.

Demissões
O novo líder do PMDB na Câmara mandou para rua ontem uma funcionária com 20 anos de experiência e surpreendeu o gabinete. Não será surpresa no Senado. Em nova roupagem, Renan Calheiros vai passar a vassoura em cargos de confiança de décadas.

Terça de Cinzas
Bastou a oposição ameaçar obstruir a votação do Orçamento no Congresso – defendeu antes a análise dos vetos - para que parte da base insatisfeita debandasse para o aeroporto. Sem quórum, a votação ficou para depois da folia.

Severino
Por pouco a Câmara não reeditou a eleição de Severino Cavalcanti para presidência da Casa. A traição contra Henrique Alves (PMDB-RN) ficou evidente e apenas 23 votos evitaram a realização do 2º turno contra Júlio Delgado (PSB-MG).

2014
A presidente continua a agenda de cobrar os grandes empresários compromisso com programas do governo pelo crescimento do país. E, claro, para o caixa de 2014. Ontem recebeu o dr. Sérgio, fundador da Andrade Gutiérrez.

Inflação no plenário
É só coincidência, ou não. No dia que tomou posse a nova Mesa, o café espresso na lanchonete do SENAC da Câmara subiu 25%, para R$ 2,50.

Taxiando
Com a ascensão de Henrique Alves, quem deve voltar a desfilar pela Câmara é o ex-diretor da Anac Leur Lomanto.

Ponto Final
Novo Ano Legislativo com velhos personagens. A história se repete.

Por Leandro Mazzini - com Vinícius Tavares, Marcos Seabra e Adelina Vasconcelos
Brasília, Quarta-feira, 06 de Fevereiro de 2013 – nº 370

Deixe seu Comentário

Leia Também

Servidores expulsos
Previdência x Juros
Lava Jato intensifica denúncias
Tentativa de coalizão
Pacto federativo