Menu
Busca quarta, 18 de setembro de 2019
(67) 99647-9098
COLUNA

Mondovino

Donizetti Vicentin

Apoio bem-vindo

07 maio 2019 - 07h07

Vemos com muita alegria a retomada das atividades da Frente Parlamentar em Defesa da Uva e do Vinho no congresso nacional, independentemente de ideologias, a criação de empregos e o fomento a indústria são os objetivos mais importantes que qualquer governo deve buscar para o desenvolvimento do país.

 “Nosso compromisso é fortalecer a cadeia produtiva da uva, do vinho, espumantes, sucos e derivados, que movimenta cerca de R$ 9 bilhões por ano e cria milhares de empregos no Brasil. Apesar de ter vinhos premiados pela qualidade, de cada 10 garrafas de vinhos finos vendidos no país, nove são importadas”, disse o coordenador da frente parlamentar, o deputado federal Afonso Hamm.

Para o vice-presidente do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Márcio Ferrari, para que as empresas nacionais possam investir em inovação e desenvolvimento é necessário a redução da carga tributária.

Os vitivinicultores reivindicam também a ampliação do apoio financeiro para o seguro rural, a modernização da Lei do Vinho e a exclusão dos produtos vitivinícolas do regime de substituição tributária (ST) do ICMS. (Substituição para trás: apenas a última pessoa que participa da cadeia de circulação da mercadoria é que paga o tributo, de maneira integral, inclusive relativamente às operações anteriormente praticadas e/ou seus resultados).

O presidente da Associação Brasileira de Sommeliers do Rio Grande do Sul, Orestes de Andrade Jr., reafirma a necessidade da desoneração e cita números preocupantes: 88% dos vinhos consumidos no Brasil são importados. O Chile é dono de 48% do mercado, seguido por Portugal (15%), Argentina (13%) e Itália (9%). “Há uma concentração grande no mercado, pois 85% dos vinhos importados consumidos no país são de apenas quatro países”, diz Orestes Jr, que sugere maior investimento em marketing e na formação de profissionais e consumidores. “Em quatro anos, tivemos mais de 400 alunos em oito turmas de sommeliers da ABS-RS, que vieram de 12 estados diferentes”. Temos um ativo importante, a experiência nas vinícolas, que atrai consumidores de dentro e fora do país.

O secretário de Agricultura Familiar e Cooperativismo do Ministério da Agricultura, Fernando Schwanke, participou do evento de retomada das atividades da frente parlamentar, em Brasília. Ele reafirmou o apoio do Ministério às demandas “dessa cadeia produtiva tão importante para a economia do país”, definiu.

A líder do governo do presidente Jair Bolsonaro na Câmara Federal, deputada Joice Hasselmann, esteve em Bento Gonçalves  para participar da Conferência em apoio à Zona Franca da Uva e do Vinho. A criação da Zona Franca foi proposta em projeto de lei de autoria do deputado federal João Derly, desarquivado pelo deputado federal Jerônimo Goergen e pede a isenção de impostos na venda de vinhos, no varejo, em 23 cidades da Serra Gaúcha.

BONS VINHOS A TODOS

''O vinho lava as nossas inquietações, enxuga a alma até o fundo, e , entre outras coisas, garante a cura da tristeza.'' (Sêneca, filósofo romano)

Deixe seu Comentário

Leia Também

Gamay a Estrela do Beaujolais
Caríssimo Presidente
O ciclo da uva
Os aromas do vinho
Simpósio sobre clima causa apreensão