Menu
Busca sexta, 14 de maio de 2021
(67) 99647-9098
TJMS - maio21
COLUNA

O MKT Delas!

Vanessa Ricarte

Aprenda a dizer ‘não’ a um trabalho gratuito sem perder a elegância

15 fevereiro 2021 - 18h46

Quem trabalha com prestação de serviços, o popular “freela”, invariavelmente já passou pela situação de ser convidado a fazer um trabalho não remunerado. É importante saber avaliar qual o momentum em que a sua carreira se encontra para poder decidir se isso é um bom negócio para você. Porém, vamos aqui à pergunta crucial: como dizer não a um convite desse tipo sem se indispor com a pessoa que pediu o serviço? Como não ter receio de fechar portas no futuro, caso haja essa recusa?

Importante lembrar que a carreira é sua. Só você sabe o quanto se dedicou aos estudos, se aperfeiçoou e o tanto que precisou investir para chegar até aqui. A valorização deve partir de você em primeiro lugar. Tendo isso em mente, o que poderia ser mais difícil, neste caso, é saber a forma adequada de recusar (com elegância e educação) tal proposta, que tem tudo para se tornar uma verdadeira dor de cabeça, caso não seja interessante ao seu currículo.

Separando o joio do trigo - Existem sim, situações nas quais optamos por tocar jobs gratuitos. Uma proposta alinhada aos seus valores pessoais, uma cortesia a amigos e familiares que estão começando um novo negócio, um trabalho voluntário que necessite da sua expertise técnica são alguns desses exemplos. 

Porém, há os “espertalhões” que entram em contato contigo a fim de obter vantagens sobre o seu trabalho, para não ter que gastar 1 real do bolso (e com vários reais dentro dele, diga-se de passagem). “Se você aceitar esse projeto, vai ficar super conhecida, vou falar bem de você para todos”. Sei… E é justamente esse tipo de situação que é preciso comunicar, com clareza e objetividade, que não está disponível para essa proposta.

Formas educadas de dizer “não”

Eu mesma já entrei nessas frias logo no início da minha carreira. O medo de dizer não me fez trabalhar em projetos que não tinham nada a ver comigo. E aprendi que é preciso cortar o papo “logo pela raiz”, porém, com sabedoria. A maneira como você recusa um trabalho free pode sim ser um desastre. “Tá de brincadeira comigo? Acha que eu peguei meu diploma no lixo? Meu tempo é precioso demais para eu perder com isso”... Pare, respire e raciocine antes de dizer um “não” atravessado.

Eu sigo no Instagram uma jornalista e editora de mídias sociais britânica chamada Phoebe Parke (@phoebeparke) que dá altas dicas sobre comunicação nas redes sociais. Ex-repórter da CNN Londres, seu objetivo é ajudar profissionais a ter um trabalho digital de excelência. Em um de seus posts, ela ensina, de maneira elegante, a como dizer “não farei este trabalho de graça”. Veja só:

 - Muito obrigada por ter se lembrado de mim, parece uma ótima proposta, mas só para checar: essa oportunidade será paga?

 - Parece um projeto super interessante! Aqui está o link dos serviços que eu ofereço (ou envio o meu currículo). Acredito que por (tantos reais) posso fazê-lo OU aqui está a minha proposta com os respectivos valores.

 - Agradeço muito por me considerar competente e ideal para este trabalho. Mas infelizmente não estou disponível para novos trabalhos, a não ser os pagos. Se, futuramente, o seu orçamento permitir, por favor, entre em contato comigo novamente.

 - Essa proposta é muito interessante, mas em respeito aos clientes que pagam pelos meus serviços, não poderei aceitar, mas agradeço a oportunidade.

Não passe perrengue: comunique-se e valorize-se!

Deixe seu Comentário

Leia Também

Marketing pessoal: conheça o perfil campeão de Juliette
Ubuntu: a filosofia africana que pode ter grande impacto no marketing social
Precisamos ressignificar a definição de sucesso
Empresas têm o dever de usar o marketing para empoderar mulheres
Ações para o empoderamento feminino marcam mês das mulheres