Menu
Busca terça, 04 de agosto de 2020
(67) 99647-9098
COLUNA

Em Alta com Jhoseff Bulhões

Jhoseff Bulhões

Com sucessos na boca do povo, campo-grandense vive da música nas vozes de famosos

13 dezembro 2017 - 12h29

A coluna Em Alta de hoje traz uma excelente entrevista para você que nos acompanha aqui no JD1. Tivemos a oportunidade de conversar como compositor Léo Targino, o jovem tem letras gravadas com vários cantores do Brasil. Confiram!

 

Você nasceu em Campo Grande?

Léo Targino- Sou de campo grande mesmo, mas tem dois anos que moro em Goiânia. Vim em dezembro de 2015 para Goiânia, falei pra minha mãe estou indo ali fazer um repertorio e volto daqui uns dias, vendi uma sela de laço comprido que eu tinha, comprei minha passagem de ônibus e me sobrou 300 reais (risos) Deus abençoou e deu tudo certo, graças a Deus!

 

Quando começou a compor?

Comecei a compor com 14 anos, minha primeira música gravada foi por uma dupla de santa cantarina. Depois veio fazer igual o gato, que mane de príncipe e mais duas com a Janaynna, e "Meu v8 chegou" com João Lucas e Walter filho que tocou muito  no MS, MT, PR, e interior de SP.

 

Quantas músicas você têm?

Léo Targino- Não sei exatamente quantas músicas feitas eu tenho, mas passam de mil de composições. Aqui a gente faz a media de 2 musicas por dias, trabalhamos 5 dias por semanas, a media e de 30 a 40 musicas por mês. Fora os intensivos para projetos que sai muitas músicas em poucos dias. E gravadas já deve ter mais de 300 composições, Só este ano de 2017 tivemos mais de 100 musicas gravadas.

 

Quem gravou suas canções?

Léo Targino- Tenho musicas gravadas por vários artistas do  Brasil, mas os principais são Jads e Jadson, Bruno e Marrone, Bruno e Barretto, Henrique e Diego, Maria Cecília e Rodolfo, Conrado e Aleksandro, Loubet, Fiduma e Jeca, Léo Santana, Solange Almeida, Manutti, Janaynna, Samira Show, Breno e Caio Cesar, Bruninho e Davi, Julia e Rafaela, Max Moura e Cristiano, Marcia Felipe, Wesley Safadão, entre tantos outros que acreditaram e acreditam no nosso trabalho.

 

Delas quais fizeram mais sucesso?

Léo Targino- As principais músicas são Quem Aguenta, Noites frustradas e respeita os caipiras que foram gravadas por Jads e Jadson, "Quem Agüenta" foi de trabalho, a atual de trabalho deles e a "Noites Frustradas" e a próxima cogitada a ser de trabalho é a "Respeita os Caipiras". “Copia mal feita" atual musica de trabalho do Bruno e Barretto e Roseta que também está cogitada a ser de trabalho. Ficadinha com Henrique e Diego está entre as 5 musicas mais executadas do HeD no spotify .

"Bagunçando as Avenidas" que foi musica de trabalho do Fiduma e Jeca e mais 5 composições gravadas por eles neste novo projeto.

"Perfume" com Bruno e Marrone, tem um peso enorme para o meu portfólio alem de ser uma realização pessoal ter uma obra gravada por esses ícones da musica Sertaneja.

 

O que planeja para 2018?

Léo Targino- Para 2018 temos algumas apostas, Léo Santana esta vindo com uma composição nossa chamada Príncipe Malandro, que apostamos muito nela. Mariana Fagundes está gravando uma musica chamada "Armário Bambo" que será uma aposta para 2018, "Só o bagaço” gravada por Loubet com Participação do Jads e Jadson, "Terra do Nunca' gravada por Manutti cogitada a ser uma das próximas musicas de Trabalho dele e temos mais algumas novidades que ainda não posso contar, mas vem muita coisa boa.

 

Além de compor já pensou em ser cantor?

Léo Targino- Não penso em lançar carreira como cantor, hoje sou compositor e empresário, acabei de abrir a editora LTmusic, sou sócio empresário da cantora Janaynna e mexo com outros empreendimentos também.

 

Qual é a dificuldade que um compositor tem?

Léo Targino- O mercado de composição hoje e muito concorrido por estar em alta, a muitos cantores que resolveram virar compositores e isso tem inflacionado o nosso mercado, mas por outro lado tem suas vantagens, aonde o diferencial faz toda diferença, e preciso estar atualizado, estar atento as tendências e ser ousado nas letras, buscar falar de uma forma que atinja a grande massa, uma linguagem atual e temas populares. O entretenimento também sofreu com a crise em 2017, mas as expectativas e que 2018 seja um excelente ano para a música sertaneja.

 

Como você avalia o mercado da música no país?

Léo Targino- Graças a Deus, tenho bons parceiros de composições e boas parcerias com empresários, produtores e artistas. E sem Deus nada seria possível.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Matheus Kruz arrasa em live e faz maior sucesso no YouTube
Rede TV chega na Capital em agosto
Chitãozinho prepara seu filho Enrico para estrear no mercado sertanejo
Mauricio Mello lança EP com músicas inéditas
Fernando Margarejo Faz “Live In Studio” No Próximo Sábado