Menu
Busca terça, 19 de novembro de 2019
(67) 99647-9098
COLUNA

Esplanada

Leandro Mazzini

Como Renan negociou

02 fevereiro 2013 - 06h51

Qualquer candidatura sucumbiria ontem às articulações do senador Renan Calheiros (PMDB-AL). Há dois anos ele negocia sua volta ao comando do Congresso, em conversas até com PSDB, DEM e PCdoB, partidos que ajudaram a derrubá-lo do cargo em 2007. Para se consolidar e garantir o voto feminino suprapartidário, Renan chegou a ligar para a senadora Vanessa Graziotin (PCdoB-AM) e prometer a ela criar a Procuradoria da Mulher, proposta que Vanessa apresentou sem sucesso quando deputada. Ainda reticente, ela ouviu o aval do vice-presidente Michel Temer. 

Vermelha
“Essa loura tá podendo”, brincou o colega Inácio Arruda (PCdoB-CE) quando Renan citou Vanessa no discurso de campanha. A senadora ficou vermelha.

Justificativa
“É que desde a Câmara estamos (as mulheres) lutando por isso”, justificou Vanessa à coluna, para driblar constrangimentos sobre apoio a Renan, denunciado no STF.

Baixo clero
Depois da posse de Renan e do séquito bajulador que o seguiu, poucos viram a cena: José Sarney caminhar sozinho e sem atenção pelo plenário, como nunca se viu.

Explica, explica..
Outro ponto de Renan foi manter com o PSDB a bilionária 1ª Secretaria, que controla contratos e o Orçamento de R$ 3 bilhões. O senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), o novo ocupante, se desdobrou por 20 minutos em plenário para explicar a um contrariado Aécio Neves os motivos da adesão. Contra Renan, Aécio pregou a renovação da Casa.

Pé na estrada
Causou ciumeira em Minas e Energia a escolha do ministro Guido Mantega (Fazenda) para liderar o roadshow que apresentará em São Paulo (terça), Nova Iorque (26) e Londres (1º de Março) o pacote de PPP e as rodadas do leilão da exploração do Pré-Sal. 

Tapa de luva
A decisão da presidente Dilma de escalar Mantega à frente da comitiva, com Gleisi Hoffmann (Casa Civil) e Bernardo Figueiredo (Trem Bala e rodovias), é justamente para mostrar à imprensa britânica que ele continua forte no governo.

Cristo conectado
Durante a Jornada Mundial da Juventude, a Embratur vai instalar no Cristo do Rio um centro digital para exibir para os estrangeiros os maiores pontos turísticos do país.

Olha o côco!
Numa reunião com autoridades do turismo, a presidente Dilma frisou: É importante investir em hotéis, mas também no vendedor de côco, que é um patrimônio do Brasil.

A solitária
Como a UNE esqueceu como fazer protestos há anos, a brasiliense Cristia Lima pediu licença ontem, “matou o trabalho”  e surgiu solitária com nariz de palhaço, em protesto contra a corrupção, na Chapelaria do Congresso.

Bom pagador
Pequenos empreendedores mantiveram baixíssimo o índice de inadimplência de 2012. Segundo a Serasa Experian, 95,4% das micro e pequenas empresas pagaram suas contas em dia ou com até sete dias de atraso, recorde em seis anos de pesquisa.

Dois lados
No salão azul, Aécio soltou “O Senado se apequenou, a candidatura de Taques é o sentimento de mudança”. Mas o PSDB não abriu mão da 1ª Secretaria. O presidente do PMDB, Valdir Raupp: “As denúncias são requentadas”.  Mas Renan é um só.

Cadê?
Três senadores faltaram ontem na eleição. Luiz Henrique e João Ribeiro, por motivos de saúde, e Humberto Costa, que faz curso nos Estados Unidos, explicou assessoria.

Ponto Final
Sarney frisou o Orçamento Fácil, Renan lançou um Brasil mais Fácil. De repente tudo ficou fácil no Congresso.

Por Leandro Mazzini - com Vinícius Tavares, Marcos Seabra e Adelina Vasconcelos
Brasília, Sábado, 02 de Fevereiro de 2013 – nº 367

Deixe seu Comentário

Leia Também

Aras e o Senado
Mãos ao alto!
Cadê o nosso, Petrobras?
Faroeste amazônico
Barbosa vem aí