Menu
Busca segunda, 20 de maio de 2019
(67) 99647-9098
COLUNA

Mondovino

Donizetti Vicentin

Curiosidades sobre vinhos

24 abril 2019 - 10h35

Algumas curiosidades sobre o vinho que talvez você ainda não conhecia.

  - Foi da centenária Adega Maziero, em Jundiaí, interior de São Paulo, que saiu o vinho que esteve no altar do Papa Francisco na missa celebrada em Aparecida, em 2013
 - Os produtores do Vale do Rio São Francisco, concentrados principalmente em Pernambuco, iniciaram no começo deste século a busca por um outro vinho, tipicamente brasileiro, tropical e fresco.

 - A taça tem a curvatura que vai fechando mais na boca pra poder reter os aromas do vinho;
 - Champanhe ou espumante? Tudo depende de onde ele foi produzido. Devido à lei de Denominação de Origem Protegida (DOP) na frança, os espumantes feitos fora da região de Champagne, não podem ser chamados de champanhe e levam apenas a alcunha de espumantes. Então, todo o Champagne é um espumante mas nem todo espumante é um Champagne.

- A rolha permite que o vinho respire e que envelheça de maneira apropriada para que as características e sabor do vinho se mantenham.

 - Quando chegaram à América do Norte, os “vikings” nórdicos (exploradores) , muito antes de Colombo, nomearam o continente como “wine land”, ou seja, “terra do vinho”, devido à grande quantidade de videiras que acharam no local.

- O vinho branco também pode ser feito de uvas tintas. Isso porque a coloração do vinho é definida pela extração de pigmentos presentes na casca da uva, que ficam de fora da fermentação no caso dos vinhos brancos. Aliás, um dos principais espumantes é de Pinot Noir, uma uva tinta! Já na produção do vinho rosé, as cascas de uva tinta ficam em contato com a mistura apenas por tempo suficiente para alcançar o tom rosado.

 - O vinho pode ser uma poderosa fonte de antioxidantes. Para obter a mesma quantidade de antioxidantes de uma garrafa de vinho, seria necessário beber 20 copos de suco de maçã ou 7 de laranja. Mas vale lembrar que o vinho tinto tem bem mais antioxidantes que o branco!
 - Em todo o Velho Testamento, somente um livro não contém referência alguma ao vinho, o livro de Jonas. As referências bíblicas são tantas que durante a Lei Seca nos Estados Unidos, correntes religiosas mais puritanas tentaram provar que o vinho citado na Bíblia era, na verdade, suco de uva sem fermentação alcoólica. Mas a história não pegou!

 - As pessoas harmonizam vinhos e comida porque ambos produzem uma sinergia, transformando dois sabores em um terceiro especial. Além disso, o vinho seria capaz de limpar as papilas gustativas da boca, ou seja, cada garfada seria como a primeira. Enquanto o vinho tinto é mais indicado para carnes vermelhas, o branco combina com peixes e frango.

 - O maior produtor de vinhos do mundo é a França, seguida pela Espanha, Itália e Califórnia. A Espanha detém o maior vinhedo do mundo, mas os franceses teriam mais videiras por hectare que os espanhóis. Nos Estados Unidos, o vinho é produzido em absolutamente todos os estados, incluindo o Alasca. Não é surpresa que a uva seja a fruta mais cultivada em termos de hectares plantados no mundo!

  - Planejando uma noite de vinhos, mas em dúvida de qual servir primeiro? A tradição pede por vinhos mais leves antes, esperando a refeição para servir os mais pesados. Algumas orientações são servir o vinho branco antes do vinho tinto, o mais novo antes do mais antigo, e o vinho seco antes do doce.

 - Como o vinho tem propriedades relaxantes, especialistas garantem que beber quantidades moderadas antes do ato sexual poderia torná-lo mais agradável, especialmente para as mulheres. É o que diz um estudo italiano, referente ao efeito de duas taças de vinho por dia na atividade sexual. As mulheres seriam mais suscetíveis aos efeitos da bebida por processarem-na mais lentamente.  vinho melhora com a idade, para falar a verdade, quase nenhum.
  
 - Apenas 5% de todo o vinho produzido no mundo realmente vai ‘melhorar com a idade’, e 95% da produção mundial deve ser bebida dentro de no máximo 5 anos após chegarem ao mercado. Os vinhos de fato mudam com a idade, alguns para melhor, mas a maioria não. Essa evolução depende da mistura de ácidos, açúcares, fenóis e principalmente dos taninos, mas a grande maioria dos vinhos produzidos está pronta para beber e não tem muito potencial para envelhecer.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Aposentadoria de um fora de série
Degustação vertical e horizontal. O que é isso?
Apoio bem-vindo
Os vinhos e o STF
A incrível historia da uva que ressuscitou