Menu
Busca segunda, 20 de maio de 2019
(67) 99647-9098
COLUNA

Mondovino

Donizetti Vicentin

Lendas, mitos e enganos sobre os (bons) vinhos israelenses

16 abril 2019 - 07h00

Muitos dos nossos leitores talvez pouco saibam sobre vinhos israelenses, a seguir as perguntas mais frequentes que me fazem sobre os vinhos de Israel.

O vinho israelense é bom?
Claro que é bom! O vinho de Israel pode ser tão saboroso quanto o vinho de qualquer outra região do mundo. Israel tem um clima mediterrâneo temperado, uma variedade de tipos de solo, dias de sol quente, noites mais para frias que amenas com uma bela variação térmicas que chega em algumas épocas do ano até a 18 graus com um moderno setor vinícola de Israel que realmente decolou nos anos 70.  O país tem uma riqueza de jovens vinicultores engajados, com um olho no futuro, em vez de confinados pelas regras e tradições do Velho Mundo.

Embora a produção de vinho em Israel remonte a milhares de anos, como evidenciado por muitas referências ao vinho na Torá e no Antigo Testamento, essa tradição foi perdida sob centenas de anos de domínio islâmico.

Quem foi o principal nome a ajudar a reviver a indústria de vinho de Israel? 
Barão Edmond de Rothschild, proprietário do famoso Château Lafite Rothschild em Bordeaux , que é anunciado como o pai da moderna vinificação em Israel.

Em 1882, quando colonos judeus na Palestina otomana solicitaram assistência agrícola de Rothschild, ele enviou especialistas para determinar a adequação do clima e do solo, forneceu cortes de seus vinhedos franceses, que foram replantados em um pequeno povoado perto da costa. Em 10 anos, a vinícola da Rishon LeZion teve sua primeira colheita.

Existem aproximadamente 300 vinícolas em Israel atualmente. Eles variam de operações muito pequenas que produzem algumas centenas de garrafas de vinho por ano, até grandes vinícolas que produzem mais de cinco milhões de garrafas. Os quatro maiores produtores - Barkan , Carmel Winery , Teperberg Winery e Golan Heights Winery - produzem mais de 20 milhões de garrafas combinadas a cada ano.

Outras vinícolas, incluindo Recanati , Binyamina e Tabor , produzem cerca de um milhão de garrafas por ano. Um número de vinícolas relativamente pequenas fornecem equilíbrio, muitas com uma produção de cerca de 20.000 a 30.000 garrafas por ano.

Israel produz 40 a 45 milhões de garrafas de vinho por ano. A maioria dos vinhos israelenses é consumida no país, já que apenas 20% são exportados a cada ano. Os Estados Unidos são o maior mercado de exportação de vinho israelense.

Que tipos de vinho são feitos em Israel?
Israel produz vinhos de todas as principais variedades, como Cabernet Sauvignon , Merlot , Syrah , Grenache , Carignan , Chardonnay , Chenin Blanc e Sauvignon Blanc . Existem muitas misturas vermelhas feitas lá também.

Duas uvas cruzadas ganharam notoriedade em Israel: Marselan , criada pela primeira vez na França, e Argaman , uma uva com origem local que é um cruzamento entre Souzão e Carignan Há também duas antigas uvas nativas que foram descobertas, Marawi branco e Bituni vermelho.

Existem cinco regiões vinícolas principais de Israel: Galiléia, Shomron, Sansão, Judéia e Negev.

GALILÉIA - ao norte de Israel, é considerada pelos especialistas a melhor região de crescimento do país. A área é conhecida por sua elevação relativamente alta e é dividida em três sub-regiões: Alta Galileia , Baixa Galiléia e Colinas de Golã.

SHORMOM - ao sul, é a região plantada pela primeira vez por Edmond de Rothschild em 1882. Chamado para a figura bíblica,

SANSÃO ou SAMSOM - fica localizada na planície costeira a sudeste de Tel Aviv. 

JUDÉIA -  a área mais próxima de Jerusalém, se beneficia de vinhedos de alta altitude. 

NEGEV -  uma grande região desértica no sul do país, tem duas pequenas áreas plantadas com videiras.
Todos os vinhos israelenses são kosher?

Nem todos, mas a maioria dos vinhos israelenses produzidos é kosher. Várias pequenas vinícolas produzem vinho não-kosher, mas a maioria tem produção limitada, tornando a maioria do vinho kosher de Israel. O vinho kosher é produzido da mesma forma que todos os outros vinhos são feitos. A única diferença é que, a partir do momento em que as uvas entram na adega até o engarrafamento, as uvas e o vinho só podem ser manipulados por um judeu observador do sábado (ou ortodoxo). Um produtor de vinho judeu não judeu ou não praticante pode estar envolvido no processo, mas eles não podem lidar com o vinho em barris ou tanques. A coisa mais importante a ter em mente é que o vinho kosher é feito exatamente como o outro vinho. Certificar o vinho como kosher não afeta o seu sabor.

O vinho israelense pode envelhecer bem?
Sim, o vinho israelense pode envelhecer. Duas das qualidades que determinam se algum vinho envelhecerá são a estrutura tânica e a acidez. Cabernet Sauvignon e misturas vermelhas de Israel envelhecem e se desenvolvem em garrafa desde que sejam bem feitas e armazenadas adequadamente em um local fresco e escuro.

BONS VINHOS A TODOS 

E os seus celeiros ficarão plenamente cheios,
e os seus barris transbordarão de vinho. (Provérbios 3:10)

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Aposentadoria de um fora de série
Degustação vertical e horizontal. O que é isso?
Apoio bem-vindo
Os vinhos e o STF
A incrível historia da uva que ressuscitou