Menu
Busca quarta, 22 de maio de 2019
(67) 99647-9098
COLUNA

Mondovino

Donizetti Vicentin

Muito além do prazer

23 fevereiro 2019 - 16h25

Não é de hoje que sabemos que o vinho faz bem a saúde, desde tempos remotos já se usava o vinho como remédio, agora um um estudo publicado na Nature Communications, pesquisadores da Escola de Medicina Icahn do Hospital Mount Sinai, em Nova York, descobriram que o ácido di-hidrocaico (DHCA) e a malvidina-3-glicosídeo (mal-gluc), ambos nutrientes encontrados nas uvas, atenuaram a depressão induzida por estresse em camundongos, combatendo os mecanismos recém descobertos da doença.

O texto do estudo argumenta que as baixas taxas de resposta associadas aos atuais antidepressivos populares - para não mencionar sua ampla gama de efeitos colaterais - indicam a necessidade de novos tratamentos terapêuticos que abordem as causas subjacentes da depressão. A depressão, que atinge aproximadamente 16 milhões de pessoas nos Estados Unidos a cada ano, está associada a uma variedade de mecanismos, incluindo um aumento na inflamação periférica do cérebro, bem como anormalidades nas sinapses cerebrais, as estruturas que permitem que os neurônios transmitam sinais para outros neurônios.

Anteriormente, o resveratrol foi indicado para reduzir a inflamação relacionada ao estresse do cérebro. Agora, este estudo descobriu que o DHCA também é capaz de regular a inflamação, enquanto o mal-gluc mostrou influenciar a expressão dos genes responsáveis pela plasticidade sináptica (basicamente, a capacidade de fortalecimento ou enfraquecimento das sinapses). Os pesquisadores também mostraram que um tratamento usando uma combinação de DHCA e mal-gluc foi capaz de diminuir o comportamento depressivo em camundongos que eram suscetíveis ao estresse.

"Nossa abordagem para usar um tratamento combinado de DHCA e mal-gluc para inibir simultaneamente a inflamação periférica e modular a plasticidade sináptica no cérebro funciona sinergicamente para otimizar a resiliência contra fenótipos como depressão induzida por estresse crônico", explicou o Dr. Giulio Maria Pasinetti, pesquisador-chefe e professor de neurologia no Monte Sinai. "A descoberta desses novos fitoquímicos naturais derivados da uva pode fornecer uma maneira eficaz de tratar um subconjunto de pessoas com depressão e ansiedade, uma condição que afeta tantas pessoas".

BONS VINHOS A TODOS
 
UMA CANÇÃO DE BEBER (William Butler Yeats)

Vinho entra pela boca
E o amor vem nos olhos;
Isso é tudo o que sabemos pela verdade
Antes de envelhecermos e morrermos.
Eu levanto o copo para a minha boca
Eu olho para você e suspiro.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Pinot Noir
Aposentadoria de um fora de série
Degustação vertical e horizontal. O que é isso?
Apoio bem-vindo
Os vinhos e o STF