Menu
Busca quinta, 29 de julho de 2021
(67) 99647-9098
Senai - EAD_senai_tecnico
COLUNA

O MKT Delas!

Vanessa Ricarte

Você é o que você compartilha!

20 fevereiro 2021 - 10h46

Em 2019, eu participei da Social Media Week, o maior evento de marketing digital do Brasil, que aconteceu na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) - São Paulo. Lá eu conheci o Juliano Kimura, fera e autoridade em redes sociais (@julianokimura). Ele estava vendendo seu livro recém-lançado nos intervalos entre uma palestra e outra. Um dos capítulos de sua obra (O Livro Secreto das Redes Sociais) que mais me chamaram a atenção foi sobre o impacto da presença digital.

Já parou para pensar qual é o conteúdo que você posta diariamente em suas redes sociais? Qual tipo de mensagem você compartilha com a sua audiência? Antes da popularização da internet, a comunicação era uma via de mão única. TV, rádio, revistas e jornais impressos produziam conteúdo apenas consumido e não havia uma interação imediata com o telespectador/ouvinte/leitor.

As redes sociais, posteriormente, se transformaram em verdadeiros canais de mídia. Hoje você tem o seu próprio veículo de comunicação (seu perfil na rede social), que tem o poder de alcançar milhares de pessoas, em qualquer lugar do planeta que exista essa conectividade digital (conhecido por viral). Frente ao volume de informações que são compartilhadas diariamente (milhões de terabytes), é certo que a qualidade desse conteúdo tem deixado muito a desejar.

“Você é o que você compartilha!”

Gil Giardelli, especialista em Cultura Digital

Conteúdo digital - Ter bom humor é essencial na vida online também. Mas o compartilhamento maçante de piadinhas, desafios, etc é só o que tem a oferecer? Outra forma de comunicação desastrosa são as indiretas. Você posta uma mensagem agressiva tendo em mente atingir uma pessoa da sua audiência, mas se esquece dos mais de 1000 contatos (ou seguidores) que também estão ali. Potencialmente, eles poderão entender que o recado foi dado a todas elas, de maneira individual.

O teor das mensagens (positivas ou negativas) compartilhadas via redes sociais ainda dizem tudo a respeito do seu estado emocional naquele momento. Talvez observar com mais clareza o que você espera de retorno à mensagem que pretende postar, seja uma ótima maneira de refletir antes da decisão de compartilhar. 

Os motores de busca igualmente entregam a você o conteúdo que costuma procurar na internet. Tudo o que lhe é oferecido é consequência das suas próprias buscas anteriores. Google, Netflix, Facebook, Instagram, e demais redes que trabalham com algoritmos vão te oferecer essa experiência conforme a persona digital que você se tornou para elas. 

Tenha em mente que o conteúdo consumido, produzido ou disseminado por você pode e gera valor à sua vida real.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Marketing pessoal: conheça o perfil campeão de Juliette
Ubuntu: a filosofia africana que pode ter grande impacto no marketing social
Precisamos ressignificar a definição de sucesso
Empresas têm o dever de usar o marketing para empoderar mulheres
Ações para o empoderamento feminino marcam mês das mulheres