Menu
Busca domingo, 21 de abril de 2019
(67) 99647-9098
Cultura

Com show da plateia, McCartney encanta 45 mil pessoas no Rio

23 maio 2011 - 09h27Reinaldo Marques/ Terra

Se o ex-Beatle Paul McCartney esperava ser o único a dar show no estádio do Engenhão na noite deste domingo (22) no Rio de Janeiro, saiu de lá surpreso. Os 45 mil fãs que foram ao local trataram de ajudar o astro inglês em sua missão. Com um repertório bem parecido com o apresentado em sua última passagem pelo País em novembro do ano passado, McCartney encantou os cariocas durante mais de duas horas e meia em mais uma apresentação memorável.

Com pontualidade quase britânica, McCartney escolheu um clássico dos Beatles para abrir sua apresentação. O show, que foi transmitido em HD e com exclusivadade pelo Terra, começou por volta das 21h45 - com 15 minutos de atraso - com Hello, Goodbye do disco Magical Mystery Tour de 1967. Na seqüência, o rock de arena Jet já da sua fase com os Wings.

Depois da animação das duas primeiras canções, All My Loving, dos Beatles, transformou o Engenhão em uma pista de dança, para quem conseguiu espaço. A diversidade da faixa etária do público - dos 10 aos 70 anos -, é um bom exemplo de que a beatlemania persiste após gerações. Os mais novos imitavam os pais e tinham os refrões na ponta da língua.

A noite prosseguiu com a mistura de canções de Beatles e Wings com Letting Go, do projeto pós-Beatles de McCartney e Drive My Car do quarteto de Liverpool. Teve espaço até para Sing The Changes do Firemen, uma das iniciativas mais discutíveis do astro inglês.

A alegria de McCartney no palco contagiou. Vendedores de bebidas, seguranças e integrantes da equipe de limpeza aproveitaram a descontração do show para registrarem o momento com seus celulares. E assim, Paul deu andamento ao show com Let Me Roll It dos Wings - e com direito a solo de Foxy Lady - The Long and Winding Road, 1985 e Let 'Em In. Com o público ainda boquiaberto pela seqüência de abertura do primeiro terço do show, McCartney deu início ao segmento acústico da noite. Primeiro como I've Just Seen a Face e em seguida com And I Love Her. Antes dessa, aliás, Paul ganhou uma homanegem do público que cantou o refrão do clássico She Loves You, dos Beatles. Emocionado, o músico devolveu com um "e eu amo vocês" em inglês.

A emoção prosseguiu com Blackbird, apresentada pelo astro como um libelo em prol das liberdades civis. Mas o ponto alto do segmento veio com a bonita Here Today "dedicada ao meu amigo John" (Lennon), segundo as próprias palavras de McCartney. O anúncio cravou uma nova homenagem do público em coro, desse vez ao ex-Beatle assassinado em 1980.

Com o violão de lado, entrou em cena o ukelele de McCartney. "Vocês querem dançar?", perguntou o ex-Beatle. Com os primeiro acordes de Dance Tonight começou também a performance impagável do baterista Abe Laboriel Jr. Não para marcar o ritmo da música, acompanhada apenas pelo bumbo, mas sim por sua desenvoltura como dançarino durante a canção em que o grandalhão rouba a cena.

o arranjo ao vivo de Dance Tonight mostra a força de McCartney como compositor ao transformar e atualizar canções melodicamente poderosas com roupagens diferenciadas.

Mrs. Vandebilt, dos Wings, e Eleanor Rigby, dos Beatles, foram as seguintes no repertório de McCartney e contaram novamente com o coro de apoio das cerca de 45 mil pessoas que esgorataram os ingressos para o show de domingo. Something veio em seguida e foi dedicada a outro ex-Beatle já morto, George Harrison, que perdeu a luta contra o câncer em 2001.

A seqüência que encerraria a primeira parte do show seria tão impressionante quanto a abertura da noite. As grandiosas Band on the Run e Ob-La-Di, Ob-La-Da ganharam coro vigoroso do público, mas nada comparável ao que se viu em Back in the U.S.S.R., cantada em uníssono.

I've Got a Feeling, Paperback Writer e o duo A Day in the Life/Give Peace A Chance prepararam o terreno para novo hino: Let It Be teve Paul ao piano e show da platéia iluminando a noite com isqueiros e telas de celulares. Foi o ponto alto da noite até então, mas durou pouco.

O reinado da faixa título do último álbum dos Beatles, lançado em 1970, logo foi superado pelo vigoroso show pirotécnico de Live and Let Die. Se no palco Paul conduzia o espetáculo, na pista o público do Rio fez a sua parte. Em Hey Jude, que fechou a primeira parte da noite, surgiram em toda a pista cartazes com a sílaba "Na", em referência ao refrão.

Após um breve intervalo para descansar, McCartney, 68 anos, retornou ao palco para a primeira trinca do bis. Após Day Tripper, conversou com o público sobre os cartazes. "Foi realmente impressionante isso que vocês fizeram com as placas de 'Na'." O bloco teve ainda Lady Madonna e Get Back.

Nova pausa, e Paul voltou ao palco mais uma vez para as últimas três canções da noite. Sozinho ao violão cantou a balada Yesterday. Em seguida o petardo roqueiro de Helter Skelter esquentou novamente o público para o gran finale com Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band/The End.

Confira o setlist do show:

Hello, Goodbye

Jet

All My Loving

Letting Go

Drive My Car

Sing the Changes

Let Me Roll It

The Long and Winding Road

1985

Let 'Em In

I've Just Seen a Face

And I Love Her

Blackbird

Here Today

Dance Tonight

Mrs Vandebilt

Eleanor Rigby

Something

Band on the Run

Ob-La-Di, Ob-La-Da

Back in the U.S.S.R.

I've Got a Feeling

Paperback Writer

A Day in the Life/Give Peace A Chance

Let It Be

Live and Let Die

Hey Jude

Bis

Day Tripper

Lady Madonna

Get Back

Bis

Yesterday

Helter Skelter

Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band/The End

Com informações de Osmar Portilho do portal Terra, enviado ao Rio de Janeiro.

pmcg - prestação de contas

Deixe seu Comentário

Leia Também

Cultura
Museu Casa Pontal aguarda decisão de prefeitura para retomar obras
Cultura
Imigrantes venezuelanos e líderes de igreja organizam evento
Cultura
Número de indígenas na faculdade é nove vezes maior que 2010
Cultura
Livro sobre heroína indígena criada na capital é uma boa opção para leitura
Cultura
Balneários municipais de MS são opções para passar o feriadão
Geral
Curso grátis de fotografia é aberto no MIS
Cultura
Semana cultural tem cinema e música instrumental no Sesc
Cultura
Bosque dos Ipes abre espaço para exposição indígena
Cidade
Praça Ary Coelho vira palco de muita música e atrações neste sábado
Cultura
No Autódromo, Marquinhos ressalta turismo de eventos

Mais Lidas

Polícia
Corpo de mulher é encontrado amarrado em árvore às margens da BR-262
Polícia
Homem tem mãos decepadas, na fronteira
Polícia
Ex-radialista é morta com 24 facadas pelo sobrinho
Geral
“Em tempos de crise a solução é inovar”, diz empresária