Menu
Busca quinta, 16 de setembro de 2021
(67) 99647-9098
TJMS setembro21
Cultura

MIS recebe vídeo instalação que reelabora a narrativa da origem

26 março 2014 - 09h43Via Notícias MS
O Museu da Imagem e do Som abre no dia 1º de abril, às 19 horas, a exposição de vídeo instalação ?M – obracolética, que utiliza diferentes recursos para apresentar uma reflexão orgânica e visual dos conceitos da existência humana.

Assinada por cinco artistas de diferentes áreas de atuação (Debora Bah - fotógrafa e montadora; Gabriel Savala - montador e desenhista; Jonas Feliz - músico e desenhista de som; Leonardo Copetti - músico e desenhista de som e Maíra Espíndola - artista plástica e performer), a exposição transforma-se em uma obra colética, aglutinada.

Motivada pelo ensejo de capturar o início daquilo que nomeamos vida, ?M – obracolética transcende a reflexão científica e filosófica para flexionar sua própria matéria. As peças em exposição convidam à experimentação subjetiva. Através da água, do óleo, tintas de diferentes bases, luzes, sons, ideias, abstrações, todos os processos foram desenvolvidos organicamente dando origem a peças cuja organicidade é patente.

Os suportes da mostra utilizados são a imagem em movimento, o som e a palavra escrita.

O título da exposição foi escolhido elegendo o milenar mantra hinduísta e budista OM como referência e recurso sonoro. Sua escrita se dá transformando a letra O no símbolo matemático ? (ômega) - muitas vezes usado para denotar o último, o fim, ou o limite último de um conjunto.

Os artistas de escoraram em Sol Lewitt pra justificar escolhas e lacunas, quando este alega que “os artistas conceituais são mais místicos do que racionalistas. Eles procedem por saltos, atingindo conclusões que não podem ser alcançadas pela lógica” (Sentenças / 1969).

?M – obracolética
Com um mergulho na física, de Georges Lemaitre a Edwin Hubble, passando por W.O. Schumann, Nikola Tesla e Ernst Chladni, ?M - obracolética se inspira em investigações sobre a possível explosão originária do universo, a expansão, a ressonância responsável pelo equilíbrio da biosfera, a leitura do Universo em termos de energia, frequência e vibração. Observações da ciência que se combinam e às vezes até remontam a antigas proposições, como as hindus sobre os ciclos de criação e destruição da natureza ou a Lei da Correspondência atribuída ao místico e alquimista Hermes Trismegisto.

O que decerto despertou no átomo primordial o movimento que gerou toda a matéria? Estaria a matéria, após esse ponto nevrálgico, sendo organizada e reorganizada a partir de padrões caóticos que não conseguimos determinar? Existiria alguma potência mística por trás disso? Se as perguntas continuam sem resposta que as partículas se explodam... de novo. Start.

Serviço
A mostra ?M – obracolética será aberta no dia 1º de abril (terça-feira), às 19 horas, no Museu da Imagem e do Som, que fica no Memorial da Cultura, na avenida Fernando Correa da Costa, 559, 3º andar, Centro. Pode ser visitada de segunda a sexta, das 7h30 às 17h30 até o dia 1º de maio.
Unica - inverno

Deixe seu Comentário

Leia Também

Cultura
Som da Concha recebe General R3 and the Black Family neste sábado
Vídeos
Vídeo: Inês Brasil é ‘expulsa’ de “A Fazenda” e viraliza nas redes sociais
Cultura
Vídeo: Dupla Índio e Half chega ao fim após 15 anos
Cultura
Programa MS Cultura Cidadã encerra inscrições na sexta
Cultura
Inscrições para Prêmio Ipê de Teatro podem ser feitas até outubro
Cultura
Som da Concha será híbrido e pode ter público de até 238 pessoas
Cultura
Exposição fotográfica Momentum é lançada nesta sexta-feira
Cultura
Inscrições do programa “MS Cultura Cidadã” acabam em uma semana
Cultura
Fundação de cultura abre seleção para Salão do Artesanato em Brasília
Cultura
Sócios Band lança primeiro single nesta sexta-feira, no Blues Bar

Mais Lidas

Polícia
Corpo é encontrado esquartejado em sacos de lixo
Geral
Ao vivo: Bebê transmite mãe tomando banho no Facebook
Polícia
Jovem é presa por morder enfermeira na UPA do Coronel Antonino
Polícia
Mulher agredida com barra de ferro em espetinho no Aero Rancho contesta versão dada pelo dono