Menu
Busca quarta, 12 de maio de 2021
(67) 99647-9098
TJMS - maio21
Cultura

'O Santo e a Porca' será apresentado nesta quinta-feira no CenaSom

29 maio 2014 - 10h08Via Notícias MS
A Associação Cultural Fulano di Tal celebra dez anos apresentando a peça “O Santo e a Porca”, que integra a programação do projeto CenaSom, da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul. A encenação será hoje (29), às 20 horas, no Teatro Aracy Balabanian do Centro Cultural José Octávio Guizzo. O evento tem duração aproximada de 90 minutos e classificação de dez anos.

“O Santo e a Porca” é uma comédia escrita por Ariano Suassuna em 1957 que aborda o tema da avareza, assunto favorito de Plauto (Aulularia) e Molière (O Avarento). A trama tem início quando o fazendeiro Eudoro Vicente envia uma carta ao comerciante Eurico, mais conhecido como Euricão Engole Cobra, pedindo-lhe o seu “maior tesouro”.

Eudoro se refere, na verdade, à mão de Margarida, filha de Eurico, em casamento. Mas este pensa que o outro quer roubar-lhe a fortuna, guardada há anos em uma porca, herança deixada por seu avô. Para complicar, Margarida e o filho de Eudoro, Dodó, estão apaixonados e Benona, irmã solteirona de Euricão, acha que o convite de casamento é para ela. Ao perceber o mal-entendido, a esperta Caroba elabora um plano para ganhar um dinheirinho extra e se casar com Pinhão.

É a partir das confusões feitas pelo plano de Caroba que se desenrola toda a trama de “O Santo e a Porca”, uma história contemporânea que poderia perfeitamente acontecer nos dias de hoje e que, ao final, nos deixa uma mensagem de fé e esperança.

“O autor procura se aproximar da parte do mundo que lhe foi dada; um mundo de sol e poeira, como o que conheceu em sua infância, com atores ambulantes ou bonecos de mamulengo”, explica Marcelo Leite, diretor do Fulano de Tal.

“A comédia não foge à regra dos espetáculos de Ariano Suassuna, em que a simplicidade do trabalho permeia toda a ação dramática. O cenário recria um ambiente do interior nordestino e o figurino se apresenta com retalhos e rendas. A cultura nordestina é amplamente valorizada através de personagens que trazem consigo a marca de um povo sofrido, porém alegre. É uma comédia de costumes em que o espectador terá o prazer de se reconhecer através das cenas e diálogos inusitados que permeiam toda a encenação”, acrescenta o diretor.

O espetáculo conta com a assistência de direção de Mateus Menoni e a colaboração de Rita Regina Diniz. Traz no elenco Bruno Yudi, Marcos Gautto, Maria Fernanda Fichel, Rayra Calin, Vini Ferreira, Vinícius Del Vecchio e Yasmin Fróes; Cenário, Figurinos e Acessórios de Cleison Nantes Sandim; Iluminação de Cadu Modesto; Prosódia de Eliane Paulino; Pesquisa Musical de Karina Marques e Design Gráfico de Helton Perez.

Serviço

Os ingressos têm valores de R$ 15,00 e R$ 7,50 (meia entrada). A meia entrada é valida para estudantes, professores, doadores de sangue e idosos (acima de 60 anos), com a apresentação de seu respectivo comprovante.

Outras informações podem ser obtidas no Centro Cultural José Octávio Guizzo, que fica localizado na rua 26 de Agosto, 453, entre as ruas Calógeras e a 14 de Julho ou pelo telefone 3317-1795.
Girafa

Deixe seu Comentário

Leia Também

Cultura
Primeiro monumento restaurado, “O Aprendiz” é entregue nesta segunda
Cultura
Quem é? Músico de MS ganha cesta básica e tenta vendê-la nas redes sociais
Cultura
Beraldo no Beat lança "Promíscuo" em clima de romance intenso; assista
Cultura
Prefeitura retoma "Arte no Paço" com exposição "Pensa Mente"
Cultura
Começa hoje o evento virtual do Projeto Quatro Estações

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio