Menu
Busca quarta, 15 de julho de 2020
(67) 99647-9098
TJMS julho20
Cultura

Tradicional, tereré vira patrimônio imaterial em Mato Grosso do Sul

01 abril 2011 - 08h55
Tradicional em Mato Grosso do Sul, o tereré virou patrimônio histórico e cultural do Estado. Hoje, foi publicado o decreto do governador André Puccinellli (PMDB) determinando que o tereré de Ponta Porã seja registrado no Livro de Registro dos Saberes, onde são inscritos conhecimentos e modos de fazer enraizados no cotidiano das comunidades. No ano passado, o Conselho Estadual de Cultura havia aprovado o registro da bebida - que mistura água e erva mate, com complementos como hortelã e limão - como bem imaterial. O pedido partiu da prefeitura de Ponta Porã, conhecida como "Princesinha dos Ervais" por ter a história ligada ao ciclo da Erva-Mate. O processo de registro de patrimônio imaterial lembra que o tereré é uma tradição passada por gerações e que a "roda" elimina diferenças sociais e promove interação. Com o registro, o Estado passa a tomar medidas para salvaguardar o patrimônio, como promoção de eventos e divulgação. Um exemplo de bem imaterial é o Banho de São João, em Corumbá. Fonte: CG News
Vacinne

Deixe seu Comentário

Leia Também

Cultura
Almir Sater promove Live Pantaneiros do Bem
Cultura
Bandas do MS transmitirão na capital live 'Mundial do Rock'
Cultura
Nostalgia: Autocine retorna neste domingo com entrada franca
Cultura
O desespero do entretenimento
Cultura
Banda V12 e DJ Marcelo Natureza farão Live nesta quinta
Cultura
V12 divulga set de músicas da live de quinta feira
Cultura
Banda V12 e DJ Marcelo Natureza farão Live com clássicos do Pop Rock
Cultura
Lives de hoje: Marília Mendonça e Maiara & Maraísa e Jads e Jadson
Cultura
Dia dos namorados terá lives românticas de Lulu Santos, Nando Reis e outras
Cultura
Sandy e É o Tchan, veja as lives de hoje

Mais Lidas

Polícia
“Encontraram o monstro”, diz primo de Carla sobre assassino
Polícia
Ex-patroa é denunciada por abandono de incapaz que resultou em morte
Saúde
MP solicita inspeção em frigoríficos no interior
Polícia
Comerciante foi morta porque reconheceu voz de ex-funcionário, diz investigação