Menu
Busca quinta, 29 de outubro de 2020
(67) 99647-9098
Sebrae - Bonito
Economia

Cesta básica tem aumento de 1,38% na Capital

05 novembro 2011 - 07h46Divulgação

O custo da Cesta Básica Alimentar Individual em Campo Grande registrou acréscimo de 1,38% em outubro em relação ao mês anterior. Pesquisa mensal realizada pela área de planejamento da Secretaria de Meio Ambiente, do Planejamento e da Ciência e Tecnologia (Semac) mostra que no último mês a cesta apresentou importância de R$ 240,42, enquanto no mês de setembro, esse valor foi de R$ 237,14.

"Embora a Cesta Básica tenha apresentado alta, vale lembrar que nos últimos cinco meses persistiram quadros de sucessivas quedas, predominados pelos produtos hortifrutigranjeiros. Os estoques também foram responsáveis pelo recuo de preços e promoções nas grandes redes de supermercados, que ajudou o consumidor e contra a alta de preços", cita o relatório de análise da pesquisa.

Quanto às variações acumuladas, nos últimos 12 meses o índice é de 5,03%; no ano, os números apontam 0,61% de altas; e nos últimos seis meses queda de 6,63%.

Outubro

Em outubro de 2011, a pesquisa assinalou que dos 15 produtos que compõem a Cesta Básica Alimentar, 11 registraram alta: arroz, 5,31%; óleo, 4,12%; batata, 3,95%; tomate, 3,85%; açúcar, 2,74%; laranja, 2,47%; feijão, 2,47%; alface, 1,83%; banana, 1,53%; carne, 0,74% e leite, 0,52%. O produto que acusou queda de preço foi o macarrão, 0,59%. Pão, margarina e sal mantiveram seu preço inalterado.

Análise

A análise dos técnicos é que o estoque do arroz estava em alta e agora está se normalizando, com pouca promoção no mês pesquisado, retornando ao seu preço anterior, o que causou aumento de preço 5,31%. Devido à alta do dólar e aumento das cotações internacionais da soja, houve reflexo no preço interno do óleo de soja, acusando um aumento de 4,12%.

A queda do macarrão (0,59%) foi devido à promoção registrada do produto em alguns estabelecimentos. Esse é um indício de que o consumidor deve estar atento ao menor preço para economizar obtendo um melhor rendimento em seu salário.

Na avaliação dos últimos seis meses, os produtos que apresentaram maiores altas foram: margarina, sal, pães e leite. Em destaque entre os produtos em queda estão: batata, laranja e alface.

Quanto à renda mensal, a pesquisa de outubro constatou que o trabalhador que recebe um salário mínimo de R$ 545,00 precisou comprometer 44,11% do seu salário para aquisição da Cesta Alimentar.

Cesta Básica Familiar

A Semac também pesquisou o custo da Cesta Básica Familiar, composta por um painel fixo de produtos, que deve preencher as necessidades para higiene, limpeza e alimentação. São pesquisados 32 produtos de alimentação, 05 produtos de higiene pessoal e 07 produtos de limpeza doméstica, selecionados através de hábitos de consumo (Pesquisa de Orçamento Familiar/POF-1989) e suas respectivas quantidades, essenciais à sobrevivência adequada.

Em outubro esse, a cesta familiar registrou a importância de R$ 1.090,20, equivalente a uma variação positiva de 0,18% em comparação a setembro, quando o valor verificado na pesquisa foi de R$ 1.088,23.

Quanto ao acumulado dos últimos doze meses, houve alta de 8,25%; no ano, alta de 4,84%; e no acumulado dos últimos seis meses, o registro é de queda de 0,70%.

Dentre os 44 produtos pesquisados que compõem a Cesta Familiar, 28 apresentaram alta, 10 apresentaram queda de preço e 6 produtos mantiveram seu preço inalterado.

No grupo Alimentação, a pesquisa constatou alta de 0,10%, registrado pelos principais produtos: cebola, 8,01%; arroz, 5,26%; mamão, 4,57%; óleo, 4,25; fubá, 4,01%; batata, 3,84%; tomate, 3,81%; açúcar, 2,77%; laranja, 2,48% e feijão, 2,38%. Os produtos em queda foram: alho, 13,34%; abobrinha, 11,86%; ovos, 5,27%; mandioca, 2,85%; peixe, 2,58%; cenoura, 0,92% e macarrão, 0,61%. Os produtos que não registraram alteração de preços foram: margarina, pão francês, pão doce e couve.

Análise

Com o final da safra da cebola nas principais regiões produtoras do país, diminuiu o volume ofertado registrando alta de preço de 8,01%. O preço do mamão esteve em alta no período pesquisado com disponibilidade controlada elevando seu preço em 4,57%.

O alho continua com boa oferta no período devido ao período de safra, obtendo queda de preço de 13,34%. A cotação da abobrinha no mercado nacional atacadista esteve em baixa apresentando queda de preço, 11,86%.

Com a produção elevada de ovos de galinha, aumentou o volume ofertado no mercado nacional. Alguns estabelecimentos pesquisados entraram em promoção do produto, o que também contribuiu para queda de 5,27%.

O Grupo Higiene Pessoal registrou uma variação positiva de 0,86%.

Os produtos que colaboraram para esta alta foram: dentifrício, 2,80%, sabonete, 1,47%, lâmina de barbear, 1,24% e papel higiênico, 0,46%. O absorvente foi o único produto que diminuiu de preço, 1,10%.

O Grupo Limpeza Doméstica assinalou alta de 1,60%, destacando-se a água sanitária, 3,70%, cera em pasta, 3,69% e sabão (pó), 3,21%. Os produtos que registraram queda foram a esponja de (aço), 3,05% e desinfetante, 0,43%. Sabão em barra e detergente não apresentaram alteração de preço.

Em termos de renda versus salário-mínimo, houve um comprometimento de 40,01% do valor total da renda familiar, considerando cinco salários mínimos, R$ 2.725, para atender uma família composta por cinco membros. No mês anterior essa referência foi de 39,93%.

CertFica

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Dólar perde força ao longo do dia, mas fecha em alta novamente
Economia
Governador diz que servidor pode escolher data do 13°
Economia
Mega-Sena acumula e pode pagar prêmio de R$ 52 milhões no sábado
Economia
Economia terá R$ 208 milhões com o pagamento do 13° salário
Economia
Dólar avança à espera de decisão sobre juros do Banco Central
Economia
Foi publicada no Diário Oficial da União a redução de impostos sobre videogames
Economia
Petrobras reduz preços de combustíveis nas refinarias
Economia
Caixa libera último saque do ciclo 2 do auxílio emergencial
Economia
Hub logístico multiplicará investimentos em Porto Murtinho
Economia
Beneficiários do Bolsa Família podem sacar 2ª parcela do auxílio extensão

Mais Lidas

Política
"Ele fechou a mão duas vezes para me bater", diz candidata sobre Kemp
Polícia
'Benzedeira' faz extorsão e ameaça vítima de morte dizendo ser do PCC
Polícia
PRF intensifica fiscalização nas BR's de MS no feriadão de Finados
Economia
Dólar perde força ao longo do dia, mas fecha em alta novamente