Menu
Busca terça, 18 de junho de 2019
(67) 99647-9098
Economia

Cheque sem fundo sobe 27% e Fecomércio MS recomenda cautela

21 abril 2011 - 08h32Arquivo

O número de cheques devolvidos por falta de fundos em Mato Grosso do Sul no mês de março atingiu o maior nível do ano, segundo dados do Banco Central do Brasil. O nível de inadimplência, que vinha se mantendo abaixo dos 7%, em março saltou a 8% dos cheques transitados.

“Os comerciantes precisam ser cautelosos na checagem de cadastro antes de receber os cheques”, alerta o presidente da Fecomércio MS (Federação do Comércio de Bens Serviços e Turismo de Mato Grosso do Sul), Edison Ferreira de Araújo.

Ele lembra que o mês de fevereiro foi de menor movimentação e também tem menos dias mas, ainda assim, o número de cheques devolvidos em março é alto. São 121 mil lâminas, número 27,1% maior que de fevereiro e 35% a mais que no mês de janeiro.

Outro dado que preocupa é que o valor médio do cheque sem fundo aumentou 3,5% no mês passado em relação ao anterior, passou de R$ 1.488,44 a R$ 1.540,49.

Prefeitura prestação de contas

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
'Covardia sem precedentes', diz Maia sobre demissão de Joaquim Levy
Economia
Exportações brasileiras cresceram 10% em maio
Economia
Produtividade do trabalho recua 1,1% no primeiro trimestre
Economia
Receita paga nesta segunda as restituições do 1º lote do IR
Economia
Após Bolsonaro falar em demissão do presidente do BNDES, diretor renuncia
Economia
Governo edita nova medida provisória que altera Lei Ambiental
Economia
Mega-Sena sorteará R$ 115 mi neste sábado
Economia
Nova Previdência pode ser abortada após relatório apresentado na Câmara
Economia
Atividade econômica registra queda de 0,47% em abril
Economia
Mega-Sena pode pagar R$ 115 mi no sábado

Mais Lidas

Polícia
Vídeo - Fazendeiro morre prensado pela própria caminhonete
Polícia
"Chucky" é encontrado morto em comércio
Polícia
Dez morrem e oito ficam feridos em confronto de facções em presídio
Brasil
Filho de deputada é preso durante enterro do pai no RJ