Menu
Busca sexta, 28 de fevereiro de 2020
(67) 99647-9098
tj ms topo
Economia

Comércio de Corumbá tem prejuízo de quase R$ 5 milhões

Com fronteira fechada, as vendas caem em aproximadamente 40%

08 novembro 2019 - 14h51Jônathas Padilha, com informações do Diário Corumbaense

O comércio da cidade de Corumbá tem a economia afetada por impasse político que acontece a 17 dias na Colômbia, segundo levantamento da Associação Comercial e Industrial de Corumbá (ACIC). 

Corumbá faz fronteira com Arroyo Concepción, Puerto Quijarro e Puerto Suárez, e são essas cidades que ajudam a movimentar o comércio local brasileiro. Levantamento da associação aponta que o comércio tem deixado de faturar diariamente R$ 300 mil.

O setor que mais está sendo prejudicado é o de vestuário, calçados e alimentos. Além desses, o setor de transportes está sendo afetado, já que a cidade tem mais de 40 empresas de transportadoras.

Esses dias de mobilização, vindo do outro lado da fronteira, são por conta de uma suposta fraude na eleição presidencial da Bolívia, realizada no final de outubro deste ano.

Jacarezão

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Fábricas brasileiras começam a parar devido a crise causada por Covid-19
Economia
Coronavírus muda sistema de negócios no comércio exterior
Economia
MS ocupa 3° lugar em ranking de Estados que mais investem, aponta Ipea
Economia
Bancos passam a cobrar dólar do dia da compra com cartão
Economia
Carnaval deve movimentar R$ 8 bi na economia por causa do turismo
Economia
Mega-Sena acumula e próximo sorteio é de R$ 200 mi
Economia
Dolár bate recorde histórico de cotação e chega a R$ 4,40
Economia
Arrecadação de impostos de R$ 174,9 bi é recorde para mês de janeiro
Economia
Inflação no comércio em fevereiro é a menor em 26 anos
Economia
Dólar alivia e apresenta queda singela na última semana

Mais Lidas

Geral
Acesso ao Informe de Rendimentos já está disponível
Geral
Ibama descobre óleo próximo a navio encalhado no Maranhão
Saúde
OMS eleva grau de contaminação do coronavírus para "muito alto"
Justiça
Desembargador prevê ''caos'' se ação do Novo for aprovada