Menu
Busca domingo, 20 de outubro de 2019
(67) 99647-9098
Governo vitimas
Economia

Indicador de investimentos cresce 1,3% em maio

Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (4), pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)

04 julho 2019 - 11h20Priscilla Porangaba, com informações da Agência Brasil

A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) teve alta de 1,3% em maio, em relação a abril, na série com ajuste sazonal. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (4), pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), e mostram o quanto as empresas investiram e aumentaram seus bens de capital.

O indicador do Ipea é um dos componentes do Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país pelo lado da demanda e, de acordo com o instituto, seu crescimento sinaliza um aumento da capacidade produtiva das empresas, refletindo a melhora da confiança dos empresários nos negócios.

Os investimentos aceleraram também no acumulado em 12 meses, passando de 2,7% em abril para 4,2% em maio. Em 2019, o indicador cresceu 3%.

Quando comparado com o mês de maio do ano passado, o indicador registrou crescimento de 13,9%, influenciado, parcialmente, pelos efeitos da greve dos caminhoneiros em 2018, que geraram uma base de comparação menor.

Setores

O indicador computa investimentos em máquinas e equipamentos, construção civil e outros ativos fixos (como pesquisa e desenvolvimento, propriedade intelectual, lavouras permanentes e gado de reprodução). Apenas a construção civil apresentou desempenho negativo em maio, com queda de 0,8% em relação a abril.

O consumo aparente de máquinas e equipamentos (Came) cresceu 3,9% em maio deste ano. Entre os componentes do Came, o destaque vai para a importação de bens de capital, que avançou 16,1% (compensando a queda de 11,6% em abril).

A produção nacional avançou 2%. O componente de outros ativos fixos teve alta de 0,6% no período, contribuindo para o resultado positivo dos investimentos, segundo o Ipea.

Na comparação com maio de 2018, os três itens da FBCF tiveram bom desempenho, influenciados, em parte, pelos efeitos negativos da greve dos caminhoneiros, ocorrida em maio do ano passado.

O principal destaque foi o Came, que avançou 23,7% em relação a maio de 2018. O componente da construção, por sua vez, registrou alta interanual de 8,7% e os outros ativos fixos cresceram 6,4% em relação ao mês de maio de 2018.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Logen crítica projeto da Aneel para taxar o Sol
Economia
Longen anuncia recursos para fomentar economia do MS
Economia
IRPF: 330 mil contribuintes receberão cartas da Receita Federal
Economia
Cartão PNAE é lançado para escolas públicas comprarem merenda
Economia
Com pré-sal e Lei Kandir, Reinaldo quer potencializar investimentos
Economia
MS acumula US$ 2,2 bilhões em balança comercial de janeiro a setembro
Economia
Receita paga nesta terça-feira restituições do 5º lote do IR 2019
Economia
Governo confirma desbloqueio extra de R$7,3 bi no orçamento
Economia
Vagas temporárias de emprego para o Natal terão maior oferta dos últimos seis anos
Economia
Caixa "rouba" 7 bilhões ao ano para cuidar de FGTS, denuncia Maia

Mais Lidas

Geral
Violeiro Ivo de Souza morre em acidente na BR-163
Geral
"Relógios da Energisa marcam 40% a mais que consumo real", diz técnico do IPEM
Brasil
Três militares do Corpo de Bombeiros morreram enquanto tentavam combater incêndio
Esportes
Na capital, Muricy crava Flamengo como campeão do Brasileirão