Menu
Busca segunda, 15 de julho de 2019
(67) 99647-9098
Economia

Indicador de investimentos cresce 1,3% em maio

Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (4), pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)

04 julho 2019 - 11h20Priscilla Porangaba, com informações da Agência Brasil

A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) teve alta de 1,3% em maio, em relação a abril, na série com ajuste sazonal. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (4), pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), e mostram o quanto as empresas investiram e aumentaram seus bens de capital.

O indicador do Ipea é um dos componentes do Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país pelo lado da demanda e, de acordo com o instituto, seu crescimento sinaliza um aumento da capacidade produtiva das empresas, refletindo a melhora da confiança dos empresários nos negócios.

Os investimentos aceleraram também no acumulado em 12 meses, passando de 2,7% em abril para 4,2% em maio. Em 2019, o indicador cresceu 3%.

Quando comparado com o mês de maio do ano passado, o indicador registrou crescimento de 13,9%, influenciado, parcialmente, pelos efeitos da greve dos caminhoneiros em 2018, que geraram uma base de comparação menor.

Setores

O indicador computa investimentos em máquinas e equipamentos, construção civil e outros ativos fixos (como pesquisa e desenvolvimento, propriedade intelectual, lavouras permanentes e gado de reprodução). Apenas a construção civil apresentou desempenho negativo em maio, com queda de 0,8% em relação a abril.

O consumo aparente de máquinas e equipamentos (Came) cresceu 3,9% em maio deste ano. Entre os componentes do Came, o destaque vai para a importação de bens de capital, que avançou 16,1% (compensando a queda de 11,6% em abril).

A produção nacional avançou 2%. O componente de outros ativos fixos teve alta de 0,6% no período, contribuindo para o resultado positivo dos investimentos, segundo o Ipea.

Na comparação com maio de 2018, os três itens da FBCF tiveram bom desempenho, influenciados, em parte, pelos efeitos negativos da greve dos caminhoneiros, ocorrida em maio do ano passado.

O principal destaque foi o Came, que avançou 23,7% em relação a maio de 2018. O componente da construção, por sua vez, registrou alta interanual de 8,7% e os outros ativos fixos cresceram 6,4% em relação ao mês de maio de 2018.

1/4 colchões

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Receita paga restituições do 2º lote do IR nesta segunda-feira
Economia
Governo projeta crescimento de 0,8% para a economia em 2019
Economia
Prazo para pequenos negócios retornarem ao Simples vai até segunda
Economia
Inflação oficial registrada em junho é de 0,01%
Economia
MSGÁS tem potencial para distribuir gás natural no gasuto nacional, diz Ivan de Sá
Economia
Na Assembleia, diretor da Fiems destaca a importância da reforma Tributária
Economia
Nova norma sobre gasoduto Brasil Bolívia não afetará estado, diz MS GÁS
Economia
Vereador vai à Assembleia pedir mudança na distribuição do ICMS
Economia
Percentual de famílias endividadas aumenta
Economia
Resoluções para transparência de preço são aprovadas

Mais Lidas

Justiça
Após atacar bar no Facebook, críticos terão que pagar indenização
Polícia
Homem paga R$ 70 para estuprar menina de 13 anos
Cidade
Agetran esclarece sobre radar sem sinalização na Antônio Teodorowick
Polícia
Veículo com destino a São Paulo transportava 33,9 kg de cocaína