Menu
Busca quinta, 23 de setembro de 2021
(67) 99647-9098
TJMS setembro21
Economia

Inflação em janeiro caiu para 0,55%

07 fevereiro 2014 - 11h21Via Agêcia Brasil
A inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ficou em 0,55% em janeiro deste ano, taxa inferior a dezembro de 2013, que alcançou 0,92%. O índice também foi inferior a janeiro do ano passado, que chegou a 0,86%.

O dado foi divulgado hoje (07) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 12 meses, a inflação acumula taxa de 5,59%, portanto dentro da meta do governo federal, que varia de 2,5% a 6,5%.

A queda em janeiro foi provocada principalmente pela deflação (queda de preços) do grupo de despesas transportes (-0,03%). Em dezembro, esse grupo havia tido inflação de 1,85%. Entre os itens que contribuíram para a queda de preços dos transportes estão as passagens aéreas, com deflação de 15,88% em janeiro, depois de uma alta de 20,13% em dezembro de 2013. O grupo de despesas vestuário também teve queda de preços (-0,15%).

Os alimentos também tiveram uma contribuição para a redução da taxa do IPCA em janeiro, já que tiveram uma inflação de 0,84% em janeiro, inferior à observada em dezembro (0,89%). Alguns alimentos tiveram, inclusive, queda de preços em janeiro, como o tomate (-10,43%), o feijão-mulatinho (-6,1%), o leite longa vida (-5,61%) e o feijão-preto (-1,08%).

Neste mês, para o cálculo do IPCA foram incluídas duas novas localidades: a região metropolitana de Vitória (ES) e a cidade de Campo Grande (MS). Elas se juntam às outras 11 localidades cuja variação de preços já eram monitoradas pelo IBGE.

O IPCA, medido mensalmente pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), disponibiliza a variação dos preços no comércio para o público final. Além de Vitória e Campo Grande, o indicador reflete o custo de vida de famílias com renda mensal de um a 40 salários mínimos, residentes nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Salvador, Recife, Fortaleza e Belém, além do Distrito Federal e do município de Goiânia.

É utilizado pelo Banco Central como medidor oficial da inflação do país. O governo usa o IPCA como referência para verificar se a meta estabelecida para a inflação está sendo cumprida.

O período de coleta do IPCA vai do dia 1º ao dia 30 ou 31, dependendo do mês. A pesquisa é realizada em estabelecimentos comerciais, prestadores de serviços, domicílios (para verificar valores de aluguel) e concessionárias de serviços públicos. Os preços obtidos são os efetivamente cobrados ao consumidor, para pagamento à vista.

São considerados nove grupos de produtos e serviços: alimentação e bebidas; artigos de residência; comunicação; despesas pessoais; educação; habitação; saúde e cuidados pessoais; transportes e vestuário. Eles são subdivididos em outros itens. Ao todo, são consideradas as variações de preços de 465 subitens.
Unica - inverno

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Em protesto contra a fome, MSTS faz ocupação em prédio de bolsa de valores
Economia
Mega-Sena acumula em R$ 7 milhões, 34 moradores de MS acertaram a quadra
Economia
Caixa paga hoje auxílio emergencial a nascidos em março
Economia
Pesquisa divulgada pelo Procon mostra variação de preços dos produtos da Csta básica
Economia
Fiems recebe delegação paraguaia para rodada de negócios
Economia
Caixa paga hoje auxílio emergencial a nascidos em fevereiro
Economia
Auxílio emergencial: nascidos em janeiro recebem 6ª parcela
Economia
Possível calote em empresa chinesa faz bolsas despencarem
Economia
Decreto regulamenta reconhecimento de dívidas da União junto à Caixa
Economia
Trabalhadores nascidos em dezembro podem sacar auxílio emergencial

Mais Lidas

Geral
Vídeo: "Peixe de bosteiro", morador de rua engana população de Paranaíba
Polícia
Menino de 2 anos mata prima atropelada após dar partida em carro
Polícia
Funcionários da Energisa ficam sob mira de arma ao tentar podar árvores na Vila Olinda
Polícia
Operação “Dark Money” investiga desvio de R$ 23 milhões no esquema de corrupção em Maracaju