Menu
Busca terça, 22 de setembro de 2020
(67) 99647-9098
TJMS setembro20
Economia

Inflação na China tem pico e levanta temor de aperto de crédito

10 novembro 2013 - 05h23Via Terra
A inflação anual da China atingiu recorde de 3,2% em oito meses em outubro, com disparada dos preços dos alimentos, espalhando temor em relação à política de aperto de crédito, enquanto a produção industrial e dados de investimentos deram sinais de estabilização.

A inflação, que aumentou ligeiramente de 3,1% em setembro, ainda estava abaixo da previsão mediana de 3,3% em uma pesquisa da Reuters e ficou abaixo da meta oficial de 3,5% para 2013.

“Embora a inflação do índice de preços ao consumidor tenha sido empurrada pela demanda sazonal de alimentos, ela pode alimentar a preocupação do mercado de que o banco central poderá aumentar o aperto da política monetária, disse Li Huiyong, um economista da Shenyin & Wanguo Securities.

O Banco Popular da China se recusou a injetar liquidez nos mercados monetários durante as operações normais do mercado aberto na quinta-feira, gerando preocupação de que vai começar nova rodada de aperto nos próximos meses, disseram operadores.

Dados divulgados na sexta-feira mostram que as exportações se recuperaram mais do que o esperado em outubro. Mas poucos analistas acreditam que o banco central vai se apressar em apertar a política em meio às incertezas globais persistentes. O Banco Popular da China disse que vai manter a política prudente com ajustes finos, para manter a economia em equilíbrio, enquanto afasta riscos inflacionários.

O Escritório Nacional de Estatística disse que os preços dos alimentos subiram 6,5% em outubro, em comparação ao ano anterior, acelerando de 6,1% em setembro. Os preços do produtor da China tiveram queda de 1,5% em relação a outubro de 2012, o 20º mês seguido de baixa, ante queda de 1,3% no mês anterior.

Economistas consultados pela Reuters esperavam uma inflação ao consumidor de 3,3%, e queda de 1,4% nos preços de fábrica. Mês a mês, os preços ao consumidor subiram 0,1% em comparação à alta de 0,2% prevista por economistas.

Dados também mostraram que a produção industrial da China cresceu 10,3% em outubro ante um ano antes, superando as expectativas do mercado de aumento de 10%. Os investimentos em ativos fixos cresceram 20,1% nos primeiros 10 meses, em linha com as previsões. As vendas no varejo subiram 13,3% em outubro, ante previsão de 13,4%. No geral, os dados mostram que a economia está se estabilizando, mas ainda há muitas incertezas externas.

Uma pesquisa da Reuters mostrou que o crescimento anual pode desacelerar para 7,5% no quarto trimestre, ante 7,8% no terceiro. O crescimento anual poderá ser de 7,6%, o mais fraco em 14 anos mas ainda assim, à frente da meta do governo de 7,5%.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
FGTS está na conta dos trabalhadores nascidos em dezembro
Economia
Nascidos em julho recebem auxílio hoje e poderão sacar em outubro
Economia
Brasil e Paraguai assinam acordo para reabrir a fronteira
Economia
Pagamentos do Ciclo 1 do auxílio emergencial estão concluídos
Economia
Sidrolândia ganha unidade produtora de leitões que vai gerar 100 empregos
Economia
Caixa paga auxílio para 3,9 mi de beneficiários hoje; veja quem recebe
Economia
Comércio na fronteira terá liberação "meia boca"
Economia
Caixa paga abono salarial nesta segunda; veja quem recebe
Economia
FGTS: Caixa deposita hoje para trabalhadores nascidos em novembro
Economia
Economista aponta três fatores para aumento no preço dos alimentos

Mais Lidas

Polícia
Idosa de 66 anos é presa com quatro cápsulas de droga nas partes íntimas
Polícia
Menina é internada após ser atingida por disparo com arma de chumbinho
Geral
Comerciantes fazem protesto pela reabertura da fronteira
Polícia
Mulher tem nudes vazados após negar dinheiro a homem que conheceu na internet