Menu
Busca sábado, 18 de setembro de 2021
(67) 99647-9098
TJMS setembro21
Economia

Inflação oficial acelera em fevereiro

12 março 2014 - 11h08Via G1
A inflação ganhou força em fevereiro, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) – que mede a inflação oficial do país, por ser usado como base para as metas do governo – acelerou para 0,69% em fevereiro, após ter avançado 0,55% no mês anterior. Em fevereiro de 2013, a taxa fora de 0,60%.

O que mais pesou sobre o desempenho da inflação oficial foi o grupo de gastos com educação, cujos preços subiram 5,97%, influenciados pelo aumento do valor das mensalidades dos colégios. Nos cursos regulares, o avanço foi de 7,64%, "o maior impacto individual", segundo o IBGE. Nas mensalidades dos cursos diversos, como de idioma e informática etc, a alta foi de 5,95%.

Na sequência, entre os maiores impactos está o exercido pelo grupo alimentação e bebidas, cuja alta passou de 0,84% para 0,56% de janeiro para fevereiro. Mesmo apresentando resultado inferior ao de janeiro, exerceu o segundo maior impacto sobre o IPCA.

O desempenho foi influenciado pelos preços dos alimentos comprados para consumo dentro de casa. A variação passou de 0,90% para 0,22%. O leite longa vida, por exemplo, ficou mais barato (-3,65%), mas, em compensação, os preços de hortaliças e verduras subiram 11,42%.

"Os alimentos foram responsáveis por conter o índice geral. Parte dos itens mais sensíveis, como as hortaliças e o tomate, foi afetada pela falta de chuva no mês de janeiro e isso causou um impacto também nos índices", disse Eulina Nunes dos Santos, da Coordenação de Índices de Preços.

Influenciado pelos preços de aluguel, que subiram 1,20%, e de condomínio, que tiveram alta de 0,80%, o grupo habitação registrou variação maior em fevereiro, passando de 0,55% para 0,77%.

Também mostraram avanços acima das taxas de janeiro os grupos saúde e cuidados pessoais (de 0,48% para 0,74%) e comunicação (de 0,03% para 0,08%). O grupo artigos de residência apresentou variações maiores: de 0,49% para 1,07%.

Os outros grupos mostraram taxas negativas em relação a janeiro: vestuário (de -0,15% para -0,40%) e transporte (de -0,03% para -0,05%), com destaque para o item passagens aéreas, que ficaram 20,55% mais baratas.

Rio e Brasília
No ano, de janeiro a fevereiro, o IPCA acumula alta de 1,24%, abaixo da variação do mesmo período de 2012, quando ficara em 1,47%. Já nos últimos 12 meses, o índice ficou em 5,68%, acima dos 5,59% relativos aos 12 meses anteriores.

A maior variação do IPCA no mês partiu da região metropolitana do Rio de Janeiro (1,07%) e a menor, de Brasília (-0,12%).

INPC
Também divulgado nesta quarta-feira, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) apresentou variação de 0,64% em fevereiro, depois de subir 0,63% em janeiro. No ano, a variação é de 1,27% e, em 12 meses, de 5,38%. Em fevereiro de 2013 o INPC foi de 0,52%.
Unica - inverno

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Governo cogita possibilidade de volta do horário de verão
Economia
Beneficiários do Bolsa Família começam a receber 6ª parcela do auxílio
Economia
Trabalhadores nascidos em novembro podem sacar auxílio emergencial
Economia
Projeto do Governo para reduzir conta de energia é aprovado na Assembleia
Economia
Motoristas de apps vão ter incentivos, o que deve melhorar a vida dos passageiros
Economia
Trabalhadores nascidos em outubro podem sacar auxílio emergencial
Economia
Procon-MS devolve quase meio milhão a consumidor no primeiro semestre de 2021
Economia
Trabalhadores nascidos em setembro podem sacar auxílio emergencial
Economia
Funcionário diz que JBS está sem realizar abate
Economia
Segundo Ministro das Comunicações, tecnologia 5G pode trazer U$ 1,2 tri em investimentos

Mais Lidas

Vídeos
Vídeo: Corna arrasta 'Ruivinha' pelos cabelos após descobrir traição
Geral
Mãe lamenta morte de jovem que bateu em caçamba de entulhos
Geral
Abandonada por amigos em deserto, brasileira morre de fome e sede
Polícia
Idoso de 68 anos toma muito 'azulzinho' e morre em motel