Menu
Busca quinta, 06 de maio de 2021
(67) 99647-9098
Sebrae
Economia

Leilão de Libra, maior reserva do pré-sal, ocorre nesta segunda

21 outubro 2013 - 11h40Via Portal Brasil com informações da Agência Brasil
Nesta segunda-feira (21), a partir das 14h (de Brasília), ocorre o leilão de Libra, do pré-sal da Bacia de Santos. Será o primeiro leilão que atende às novas regras do modelo de partilha. O leilão será realizado no Hotel Windsor Barra, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro (RJ).

Esta será a primeira rodada de disputas realizada para conceder, sob o regime de partilha de produção, áreas para exploração de petróleo e gás natural na região brasileira do pré-sal.

Por meio desse regime, ficará garantida à União a gestão das reservas exploradas na área, já que as empresas vão compartilhar com a União uma parcela no volume de óleo produzido no campo de Libra. Irá vencer o leilão o consórcio que destinar a maior parcela do óleo à União.

Libra é a maior reserva do pré-sal brasileiro. Estima-se que o óleo recuperável na área leiloada, de acordo com dados do governo, varie de 8 a 12 bilhões de barris.

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, afirmou que o leilão trará inúmeras vantagens ao Brasil. "Não podemos aceitar o pessimismo e as crises infundadas com o leilão de Libra. São recursos monumentais que serão destinados à Educação e à Saúde, resolvendo definitivamente esses dois pontos de importância capital para o desenvolvimento e o crescimento econômico do Brasil.”

A estatal Pré-Sal Petróleo S.A (PPSA) foi criada para representar a União nos negócios. Já a Petrobras será a empresa operadora da área de Libra e sócia de todos os campos licitados, com no mínimo de 30% de participação no consórcio que ficar com a área.

De acordo com o ministro Lobão, o leilão não representa a privatização do petróleo do pré-sal. “Ao contrário, estamos nos apropriando dessa essa riqueza imensa que está abaixo do mar e no interior da terra. De nada nos servirá se ela continuar ali deitada em berço esplêndido. O Brasil vive vésperas de grande evolução econômica com os leilões sob o regime de partilha.”, disse.

De acordo com Edison Lobão, o pico de produção do campo de Libra é estimado em 1,4 milhão de barris por dia. Atualmente, a produção nacional chega a 2 milhões por dia. O investimento chegará a US$ 181 bilhões em 35 anos. “Em sete anos, o Brasil exportará 2 bilhões de barris de petróleo”, afirma.

Disputa
Além da própria Petrobras, que pode aumentar a sua participação na operação, outras 7 empresas apresentaram garantias para participarem do leilão da exploração dos outros 70%.

Será vencedora a empresa que reverter o maior percentual do petróleo excedente à União. O percentual mínimo previsto em lei é 41,56%.  A partilha entre união e consórcio será mensal e a empresa que vencer o primeiro leilão terá que pagar à União um bônus de R$ 15 bilhões.

Pelas regras, o governo terá uma participação total de, no mínimo, 75% na receita do projeto, levando-se em consideração todos os tipos de retornos previstos.

Contrato
O contrato de partilha será válido por 35 anos, quatro desses voltados à exploração dos recursos e os demais ao desenvolvimento e produção. As empresas vencedoras serão livres para explorar o petróleo pertencente a sua cota, bem como para garantir ao óleo o destino que desejarem. No entanto, em casos específicos de emergência, a Agência Nacional do Petróleo (ANP) poderá limitar o volume das exportações.

Royalties
De acordo com a Lei do Pré-sal, aprovada em setembro de 2013, 75% dos royalties do petróleo serão destinados para a educação e 25% para a saúde. A legislação ainda prevê que 50% do Fundo Social do Pré-Sal também devem ir para as áreas da educação e saúde.

“Com o campo de Libra, serão destinados R$ 270 bilhões para saúde e educação. E R$ 370 bilhões virão em seguida", assegura Lobão.

Os royalties a serem pagos equivalem a 15% do volume total da produção de petróleo e gás, o que deve render à União, aos estados e municípios R$ 900 bilhões em 30 anos – considerando royalties e partilha da produção. São, em média, R$ 30 bilhões por ano, o mesmo valor gerado por todos os campos em produção, hoje, no Brasil.
Girafa

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Nascidos em maio podem sacar auxílio emergencial
Economia
Beneficiários nascidos em abril podem sacar auxílio emergencial
Economia
Trabalhadores nascidos em março podem sacar auxílio emergencial
Economia
Beneficiários nascidos em fevereiro podem sacar auxílio emergencial
Economia
Beneficiários com NIS final 0 recebem auxílio emergencial
Economia
MS tem alto índice de geração de empregos
Economia
Nascidos em dezembro recebem primeira parcela do auxílio emergencial
Economia
Auxílio emergencial é pago para nascidos em novembro
Economia
Rio Verde de MT terá ponte que ligará BR a núcleo industrial do município
Economia
Caixa paga auxílio emergencial a nascidos em outubro

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio