Menu
Busca quarta, 23 de setembro de 2020
(67) 99647-9098
TJMS setembro20
Economia

Nelsinho media acordo entre construtora e operários

18 abril 2011 - 15h40Assessoria

O prefeito Nelson Trad Filho esteve na manhã de sexta-feira no canteiro de obras da empresa Homex, participando do estabelecimento do acordo coletivo entre empresa e trabalhadores que foram representados pela Central Geral dos Trabalhadores do Brasil/ Mato Grosso do Sul - CGTB/MS.

O presidente da CGTB/MS, Samuel Freitas disse que o acordo vai atender 771 trabalhadores que atuam diretamente nesta etapa da obra. “Foi bastante positivo o resultado. A empresa reconheceu os pontos em que existiam algumas falhas. É importante frisar que empresas como esta, quando se instalam em uma nova cidade, muitas vezes não conhecem a prática de trabalho dos operários locais. Cada lugar funciona de uma maneira. O que aconteceu foi isso. Estamos desde a semana passada conversando e acertando esses pontos. Houve um entendimento e agora vamos acompanhar os trabalhadores de perto. Apenas com entendimento é possível que haja uma maior e melhor produção”, enfatizou o líder dos trabalhadores.

A negociação envolveu questões como alimentação e bônus por produtividade. O empreendimento, que deu início a construção de 3.164 unidades habitacionais na saída para São Paulo, região do Jardim Paulo Coelho Machado, prevê a entrega da primeira etapa ainda neste semestre.

O prefeito Nelsinho ressalta que a decisão de intermediar este acordo foi pensada a partir de o momento em que o empreendimento prevê o desenvolvimento de regiões afastadas do centro.

“O projeto da empresa em questão tem a finalidade de estimular o desenvolvimento sócio-econômico de regiões afastadas do centro. Esta foi a característica que nos levou a apoiar o projeto da Homex. Vir aqui intermediar a questão foi válido, pois quando existe boa vontade e entendimento, todos saem ganhando. Além de promover o progresso, o empreendimento atende outros quesitos, como a geração de empregos e veio, ainda, otimizar e exemplificar uma forma diferente de construção, usando da tecnologia que está sendo empreendida nesta obra do Paulo Coelho Machado”, diz o prefeito.

O projeto prevê contrapartida para os campo-grandenses por parte da empresa, como a construção de uma escola de 2,2 mil metros quadrados, pavimentação asfáltica de 400 metros de extensão – por fora do empreendimento – que vai interligar as unidades habitacionais às demais ruas do entorno, além de entregar a obra já equipada com rede de água, energia elétrica, coleta de esgoto, asfalto e drenagem.

“Este é o maior empreendimento da Homex no Brasil. Concordamos com as contrapartidas exigidas pelo poder público. Em um primeiro momento houve certa confusão em relação ao estabelecimento deste projeto. É importante frisar que a Homex comprou o terreno para a implantação das unidades e não recebeu doação alguma do poder público. Já demos início ao projeto que não apenas vai construir moradias, mas estimular e promover o desenvolvimento desta região”, disse o diretor da filial de Campo Grande, Dennis Barros.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Vídeo mostra protesto em Pedro Juan
Economia
FGTS está na conta dos trabalhadores nascidos em dezembro
Economia
Nascidos em julho recebem auxílio hoje e poderão sacar em outubro
Economia
Brasil e Paraguai assinam acordo para reabrir a fronteira
Economia
Pagamentos do Ciclo 1 do auxílio emergencial estão concluídos
Economia
Sidrolândia ganha unidade produtora de leitões que vai gerar 100 empregos
Economia
Caixa paga auxílio para 3,9 mi de beneficiários hoje; veja quem recebe
Economia
Comércio na fronteira terá liberação "meia boca"
Economia
Caixa paga abono salarial nesta segunda; veja quem recebe
Economia
FGTS: Caixa deposita hoje para trabalhadores nascidos em novembro

Mais Lidas

Polícia
Iagro aprende 120 cabeças de gado e documentação falsa
Polícia
Operação contra o jogo do bicho vaza e é antecipada
Polícia
No Pernambuco, bandido usa nome de campo-granense para comprar celular
Justiça
McDonalds indeniza cliente em R$ 10 mil por produto vencido