Menu
Busca quarta, 03 de março de 2021
(67) 99647-9098
Governo - campanha estado que cresce - Topo
Economia

Portugueses vão às ruas protestar contra FMI e plano de austeridade

15 setembro 2012 - 19h40Jose Manuel Ribeiro / Reuters

Portugal viveu neste sábado (15) mais uma jornada de manifestações contra as medidas de austeridade do governo. Milhares de pessoas nas principais cidades do país se reuniram para protestar contra a troika.

Em Lisboa, a passeata de manifestação partiu do centro da cidade e se deslocou até a Praça da Espanha com gritos e cartazes contra o Executivo conservador de Pedro Passos Coelho e as duras medidas de ajuste aplicadas em seus 15 meses no poder para cumprir as exigências do resgate financeiro luso.

Tanto na capital, como no Porto e em outras cidades lusas, as manifestações se desenvolveram de forma pacífica, mas todas contra a política de austeridade exigida pela troika, que, por sua vez, mantém sob estreita vigilância as finanças do país.

Os três organismos (Banco Central Europeu, Comissão Europeia e Fundo Monetário Internacional), que concederam a Lisboa 78 bilhões de euros em maio de 2011 e evitaram a quebra do país, foram os principais alvos do protesto popular de hoje, assim como o Executivo de Passos Coelho.

As autoridades lusas não forneceram números sobre as manifestações, mas a imprensa local e os organizadores concordaram que os protestos de hoje foi um dos de maior contestação popular registrada no país nos últimos anos.

Os protestos, que foram convocados através das redes sociais por movimentos cívicos e grupos de 'indignados' lusos, também contaram com apoio de partidos de esquerda e de grandes sindicatos.

Seus principais promotores sublinharam, em entrevista coletiva no Porto, que a iniciativa não tem orientação política e seu objetivo é expressar o descontentamento dos portugueses com uma política econômica que disparou o desemprego (até 15%) e a recessão (3,2%).

Além disso, os manifestantes pediram para Passos Coelho não aplicar as novas medidas de ajuste anunciadas na última semana, as quais supõem uma nova redução de salários superior aos 7%, e também criticaram os empresários e as figuras da coalizão conservadora do governo.

Via G1

Peniel - amigos da pizza

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Crise: PIB recua 4,1% em 2020 com 3ª pior queda da história
Economia
Painéis solares vão garantir energia elétrica a 5 mil no Pantanal
Economia
Salário de fevereiro já está na conta dos servidores públicos
Economia
Primeira parcela do novo auxílio será paga neste mês, diz Arthur Lira
Economia
Governo do Estado paga servidores nesta segunda-feira
Economia
Governo congela pauta da gasolina por 15 dias e prevê economia de R$ 0,15
Economia
Governo Federal obriga postos a detalharem preço dos combustíveis
Economia
Para acabar com ICMS, Reinaldo quer fundo de compensação
Economia
Para Longen, 2021 será o ano de retomada da economia
Economia
Petrobras anuncia 4º aumento de gasolina no ano; diesel tem 3ª alta

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio